Vinhos: Chablis

11/03/2013

Vinhos por Massimo Leoncini

História:

Chablis é o nome da cidade no norte da Borgonha onde nasce um dos vinhos brancos mais famosos do mundo. E o vinho leva o nome da cidade.

Feito com a uva branca considerada a rainha da região, a Chardonnay é a única permitida para produzir esta A.O.C.

 

O vinho:

Essa uva se encontra no mundo todo e dá resultados diferentes. Mas uma das melhores expressões do potencial e das caraterísticas que essa casta pode oferecer se encontra na região de Chablis: solo argilo-calcário, clima frio no inverno, quente no verão, e uma cultura secular de fazer vinhos de qualidade são os ingredientes do sucesso deste produto que o mundo todo tentou imitar.

Atenção porque existem produtores e produtores, safras e safras, portanto é muito importante saber escolher o vinho primeiramente pelo produtor e, em segundo lugar, pela safra.

Outro detalhe importantissimo é que existem quatro tipologias desse vinho:

– Petit Chablis;

– Chablis;

– Chablis 1er Cru;

– Chablis Grand Cru.

Os primeiros dois são quase sempre sem passagem em madeira, mais frescos, bem minerais e com uma bela acidez que lembra notas cítricas (tangerina). Para aproveitar essas características, recomendo safras mais novas, como de 2 anos de idade.

O Premier Cru ja é um vinho mais importante em termo de qualidades aromático-gustativas. Normalmente tem uma estrutura mais encorpada, mais concentrada mas, como a maioria dos vinhos franceses, não deixa de ser elegante e fino. Faz passagem em barrica de carvalho. Esse é um casamento entre a mineralidade e a acidez do vinho com notas tostadas e levemente defumadas da barrica.

Quando o produtor encontra o equilíbrio entre os elementos, o vinho fica de uma harmonia maravilhosa!

Existem aproximadamente 40 vinhedos “Climats” que podem ser chamados Premier Cru, entre os quais 17 são chamados “Principaux”. Tomaria um 1er Cru um pouco mais maduro, por exemplo, de 5 a 8 anos de idade.

O Grand Cru, por sua vez, é mais próximo ao estilo Premier, mas com uma concentração e complexidade maior. Isso em todos os aspectos, seja visual, olfativo e gustativo.

É um grande vinho, uma cor amarela mais carregada, perfumes de tostado, café, avelã, leite condensado. No paladar, o clássico abacaxi, que pode ser mais ou menos maduro dependendo da idade, amanteigado, cremoso, bem potente, mas elegante e fino ao mesmo tempo… Essa é a França …!

Tomaria um Grand Cru com o mínimo de 6 anos de idade.

Existem 7 vinhedos que podem ser chamados Grand Cru:

– Blanchot;

– Bougros;

– Grenouilles;

– Le Clos;

– Les Preuses;

– Valmur;

– Vaudesir.

Poderíamos tranquilamente compará-lo aos grandes Chassagne Montrachet ou Mersault, que se encontram um pouco mais ao sul da mesma região.

São produtores:

– William Freve;

– Bernard Defaix;

– Laroche;

– Pacalet.

Vale dizer que existem muitos outros produtores mais, mas, com esses 4, fica difícil errar!

chablis1

Foto: Reprodução

Gli abbinamenti:

– Petit Chablis e Chablis:

Salada com queijo de cabra (chevre);

Les huitres (ostras);

Charcuterie (presunto cru e embutidos).

 

– Chablis 1 Er Cru e Chablis Grand Cru:

Escargots de Bourgogne;

Fondue de queijo (fromage).

Buon Appetito!

*Nascido na Toscana, Itália, Massimo Leoncini está no Brasil desde 2007 como sommelier do Grupo Fasano. Vinho é a sua paixão e esse é o assunto tratado na sua coluna no Magari blu, que traz aos leitores explicações simples e certeiras sobre os mais variados rótulos e suas harmonizações.