Tour Jordânia: Deserto Wadi Rum

Magari blu embarcou numa viagem por 10 dias pela Jordânia, passando por mares, rios, montanhas e desertos, descobrindo locais incríveis que devem entrar na lista de desejos de qualquer viajante. Continuamos nosso tour com uma das experiências mais diferentes que já encaramos: o Deserto Wadi Rum!

Conforme os dias iam passando na Jordânia, perguntava às pessoas qual era o local que mais gostavam em seu país. Para minha surpresa – que pensava não existir somente um único lugar preferido -, a resposta foi unânime: Wadi Rum.

Wadi Rum é o deserto que fica ao sul da Jordânia, um vale cortado no arenito e rocha de granito. Em razão de tal formação geológica, a paisagem é maravilhosa, uma constante mistura de areia alaranjada com altas dunas e montanhas rochosas cor-de-rosa.

IMG_0986

Wadi Rum
Foto: magari blu

O passeio pelo deserto pode ser feito durante um dia ou com pernoite em um dos acampamentos. Para quem vai passar só o dia, uma boa opção é hospedar-se em Aqaba, cidade banhada pelo Mar Vermelho, que fica a cerca de 1 hora dali (confira no final desta página as dicas de hotéis em Aqaba e de acampamentos em Wadi Rum).

IMG_0988

Wadi Rum
Foto: magari blu

O deserto até hoje é habitado pelos beduínos, que vivem em tendas, e muitos deles trabalham com turismo. A ocupação do Wadi Rum, aliás, remonta aos tempos pré-históricos e pinturas rupestres dos nabateus (o mesmo povo que vivia em Petra) podem ser contempladas nas rochas do deserto.

As pinturas rupestres dos nabateus Foto: magari blu

As pinturas rupestres dos nabateus
Foto: magari blu

Alguns filmes foram rodados em Wadi Rum, como “Lawrence da Arábia”, “Planeta Vermelho”, “Paixão no Deserto” e “Transformers: Revenge of the Fallen”.

Mais rastros dos nabateus! Foto: magari blu

Mais rastros nas pedras – este do século XX, o Lawrence das Arábias
Foto: magari blu

Quando visitamos o local, era dia de maratona. De fato, recebem muitos esportistas como trekkers e alpinistas, que se aventuram e colocam a resistência à prova no calor escaldante do deserto.

*O que fazer no deserto?

Um dia todo no deserto rende bastante. Vale a pena dividir as horas entre diferentes tipos de passeios, como de 4×4, de dromedário e até de balão, dependendo da época do ano.

No 4×4 é onde a gente tem uma bela ideia do que é Wadi Rum. O passeio dura algumas horas, com paradas para visitar uma tenda beduína, ver pinturas rupestres e fendas e para subir dunas de até 20 metros de altura!

IMG_1017

Visita à tenda beduína: simpática recepção com chá
Foto: magari blu

IMG_1019

A tenda
Foto: magari blu

IMG_1021

Um pouco de comércio dos beduínos
Foto: magari blu

A subida nas altas dunas é custosa, mas a faça em seu tempo, sem pressa, pois vale a pena. Ao chegar no topo, sente-se, descanse e aprecie a linda vista.

Depois, na hora de partir, desça correndo a duna! É uma delícia! Se seguir pela “trilha” a areia já está mais um pouco mais durinha. Pelo meio da duna, a areia fofa afunda até os joelhos. Tombos podem acontecer mas dificilmente você irá se machucar! É bem divertido!

IMG_0998

A duna de 20 metros que subimos!
Foto: magari blu

IMG_0992

A vista lá de cima
Foto: magari blu

IMG_0994

Mais uma imagem da vista do alto da duna
Foto: magari blu

Depois das emoções no 4×4, o passeio de dromedário, por sua vez, é tranquilo. O bicho é muito alto, e ele se levanta e se deita usando cada pata de uma vez. Então a impressão que a gente tem é que vai cair lá de cima quando ele ameaça levantar e descer! Mas é bem sossegado e vale pelas fotos! Lembrando que, como contamos aqui, na Jordânia não existem camelos e sim dromedários (que têm somente uma bossa ou “corcunda”, ao invés de duas).

IMG_1023

Dromedário pronto para o passeio no deserto
Foto: magari blu

*A comida enterrada no deserto

Foi em Wadi Rum que tive a experiência gastronômica mais diferente desde que lancei o Magari blu: zarb, a comida enterrada!

Os beduínos têm uma maneira toda particular de preparar suas refeições no deserto. Eles constroem buracos embaixo da areia, feitos de alvenaria, que funcionam como fornos. Dentro são colocados os alimentos, em uma estrutura de ferro que mais parece uma mesinha com prateleiras, ou uma mini estante. A comida fica assando ali dentro na brasa. O buraco é coberto por folhas de papel alumínio, uma tampa de ferro e um pano que, leva por cima, quem diria, areia!

IMG_1276

O buraco de alvenaria com a lenha:
Aqui é onde se cozinha a comida enterrada
Foto: magari blu

A comida fica totalmente enterrada, cozinhando por cerca de 3 horas. Dado o horário, o cozinheiro varre a areia, descobrindo o buraco, e retira a estrutura com os alimentos de lá de dentro.

O resultado? Muito saboroso! A carne desmancha.

Aperte o play e confira o mini vídeo da zarb, a comida enterrada:

IMG_1289

Para acompanhar o almoço, o delicioso pão árabe feito na hora
Foto: magari blu

*O que levar?

Para o deserto, vista roupas confortáveis, calça ou bermuda, e, sempre, tênis (de preferência antigo)! Mesmo usando tênis, a areia entra (e muito!) dentro dos sapatos e das meias.

Nossa visita foi no outono (fim de novembro) e a temperatura estava bem mais amena do que eu imaginei. Durante a tarde, ela já começa a cair e passei frio, mesmo com o sol ainda um tanto quanto alto. Precisei até pegar o colete do beduíno emprestado! 🙂 Os beduínos usam também o lenço na cabeça, o que ajuda a proteger do sol e do vento.

Facetune

No 4×4 com o colete emprestado do beduíno:
O vento fica bem frio à tarde no deserto!
Foto: magari blu

IMG_1002

Use tênis no deserto e, mesmo assim, ele fica cheio de areia!
Foto: magari blu

*Onde ficar?

– Acampamentos em Wadi Rum

Hospedar-se em um dos acampamentos é uma experiência diferente para quem curte novas vivências. Na primavera (de abril a junho), o tempo ajuda bastante e os corajosos podem até dormir fora das tendas, sob as estrelas.

Existem acampamentos de luxo, que têm uma boa estrutura para quem está disposto a dormir em tendas no deserto (com banheiro, ao menos!). Um dos acampamentos mais top que visitamos é o Captain’s Desert Camp.

IMG_0956

Captain’s Desert Camp: um dos acampamentos de luxo no deserto
Foto: magari blu

IMG_0958

As tendas para dormir no acampamento
Foto: magari blu

IMG_0976

O interior da tenda
Foto: magari blu

IMG_0978

Olha só como é o banheiro na tenda!
Foto: magari blu

IMG_0959

Divertidos os toaletes no acampamento:
Homens e mulheres são indicados pelas roupas penduradas por fora das tendas
Foto: magari blu

Quem quiser só passar o dia em Wadi Rum, pode agendar almoço por lá, provar a comida enterrada, e seguir com os passeios pelas areias do deserto – foi assim que fizemos.

Onde encontrar:
www.captains-jo.com

– Aqaba

Aqaba, a 1 hora do deserto, é uma cidade litorânea banhada pelo Mar Vermelho que, na realidade, é de um tom azul-marinho lindo! Quem não abre mão de conforto e não faz muito o tipo aventureiro, deve se hospedar ali e passar o dia em Wadi Rum.

IMG_1059

Para quebrar a aridez do deserto, o lindo Mar Vermelho…
Foto: magari blu

IMG_1061

… que é, na verdade, tão azul!
Foto: magari blu

Confira nossas dicas de hospedagem em Aqaba:

– Kempinski Aqaba

O Kempinski foi onde nos hospedamos e é, de fato, uma das melhores opções na cidade. O hotel é incrível, com uma vista magnífica, quartos modernos, clean e espaçosos, piscina, jacuzzi, spa e restaurantes. Fica perto do certinho, de frente para o mar e a praia, e é muito bacana para casais ou turmas de amigos.

IMG_1036

O quarto do Kempinski Aqaba
Foto: magari blu

IMG_1039

O banheiro em estilo aquário
Foto: magari blu

IMG_1052

A linda vista do quarto
Foto: magari blu

Onde encontrar:
www.kempinski.com

– Mövenpick Tala Bay

Tala Bay é uma zona de praia mais distante do centro de Aqaba, ideal para curtir os resorts que estão ali instalados, como o Mövenpick (que mantém outro hotel no centro) e o Radisson Blu.

O Mövenpick Tala Bay foi inaugurado em 2009, tem 206 quartos, 3 piscinas e mais uma para crianças e outra coberta no spa. Quem fica hospedado ali pode usar a estrutura do hotel no centro, por meio de carro particular ou 3 transfers por dia que saem em direção à cidade. É ótimo para famílias.

Mövenpick Aqaba Tala Bay

Mövenpick Aqaba Tala Bay
Foto: magari blu

IMG_1073

Mövenpick Tala Bay
Foto: magari blu

Onde encontrar:
www.moevenpick-hotels.com

– Radisson Blu

O Radisson Blu, também em Tala Bay, existe há 6 anos e tem 363 quartos. Oferece passeios de snorkel no mar na frente do hotel, o que vale a pena pois em Aqaba estão lindos recifes de coral. O hotel é mais tranquilo que os demais, tem uma atmosfera mais relax e menos de resort.

Radisson Blu

Radisson Blu
Foto: magari blu

IMG_1076

A piscina do Radisson Blu
Foto: magari blu

Onde encontrar:
www.radissonblu.com/resort-aqaba

*Onde comer em Aqaba?

A nossa dica para jantar em Aqaba, após um longo dia no deserto, é o restaurante Romero. A casa é especializada em peixes e frutos do mar e fica junto ao Golfo de Aqaba, no Royal Yakhut Club. Se a noite estiver quente, peça uma mesa na varanda e aproveite.

IMG_1047

Camaões grelhados, lula à dorê, legumes e batatas no Romero
Foto: magari blu

Onde encontrar:

Royal Yacht Club, Aqaba
Tel.: +962 3 202 2404
www.romero-jordan.com

*Clique aqui para ler mais dicas da Jordânia!

Ana Maria Junqueira está sempre viajando pelo mundo. É editora do Magari blu, consultora em viagens e a embaixadora de viagens da Perrier no Brasil.