Suíça Alemã: Zurique, St. Moritz, Gstaad e Zermatt

Por Teresa Perez Tours

Schweiz, Suisse, Svizzera – Os suíços se referem à sua terra usando alguma dessas palavras. É o primeiro sinal de que o país tem uma riqueza cultural inigualável. Dependendo da região, o visitante sente os ares inconfundíveis da Alemanha, da França ou da Itália. Mas, não importa onde esteja, ele nunca perde a sensação de estar na Suíça.

De ponta a ponta, o país guarda paisagens únicas. Os Alpes cobertos de neve eterna, vales profundos, lagos de água pura aos pés das montanhas, prados floridos, vacas pastando com sino no pescoço, vilarejos de chalés típicos… Ainda, a paisagem muda de vales verdes para montanhas cheias de neve, dependendo da estação do ano. E tudo isso num pequeno território – um convite para que se explore por inteiro.

Hoje vamos conhecer a Suíça Alemã, por meio de Zurique, St. Moritz, Gstaad e Zermatt!

Das regiões da Suíça, a maior é a alemã. Os Alpes cortam toda essa região. É onde se erguem as montanhas Matterhorn e Jungfrau, grandiosas, cobertas com neve eterna. E é onde se abrigam alguns dos resorts de ski mais charmosos do mundo, entre eles St. Moritz e Zermatt.

A Suíça alemã é inconfundível. Tanto nas grandes cidades como nos minúsculos vilarejos, invariavelmente haverá aqueles chalezinhos típicos, feitos de paredes de madeira e telhado pontiagudo.

Numa viagem de trem, sempre se avistarão nas montanhas e nos prados verdejantes vacas com sino no pescoço pastando calmamente. É delas que vem a matéria prima para os célebres queijos suíços.

Viagem pela Suíça de trem no verão…
Foto: Teresa Perez Tours

… e no inverno!
Foto: Teresa Perez Tours

– ZURIQUE

À primeira vista, o centro de Zurique poderia ser confundido com o de qualquer cidade europeia.

As ruas, estreitas, são cobertas de pedra e pertencem aos pedestres. Os edifícios, baixos, preservam a arquitetura de outros tempos. Um rio de águas calmas corta essa área. Ao longo das margens, cafés e restaurantes oferecem mesas ao ar livre. Mas uma particularidade torna o centro de Zurique único: do meio dos pequenos edifícios, despontam torres, altas e robustas, de igrejas construídas mil anos atrás. É uma das silhuetas mais marcantes da Suíça!

Zurique
Foto: Teresa Perez Tours

Zurique
Foto: Teresa Perez Tours

A Igreja de St. Peter exibe um relógio com quase nove metros de diâmetro, o maior do continente. Da Grossmünster, Zwinglio abriu uma das frentes da Reforma Protestante. A Fraumünster é decorada com vitrais de Chagall. Enquanto se explora a pé o centro de Zurique, ouve-se dessas torres o som mais característico da cidade: o toque dos sinos. Cada sábado, às 19h, todos badalam ao mesmo tempo!

 

*O que fazer?

PASSEIOS

Zurique tem 150 museus e galerias, como o Kunsthaus, com obras de Monet, Picasso e Chagall, e o Centro Le Corbusier, dedicado ao inventivo arquiteto suíço que inspirou Niemeyer. Em 1916, Zurique viu nascer o dadaísmo – o berço desse movimento transgressor foi o Cabaret Voltaire, hoje um centro cultural.

Onde encontrar:

Kunsthaus Zürich
Heimplatz, 1, Zurique
+41 (0) 44 253 8484

Centro Le Corbusier
Hoeschgasse, 8, Zurique
+41 (0) 44 383 6470

Cabaret Voltaire
Spiegelgasse, 1, Zurique
+ 41 (0) 43 268 5720

 

COMPRAS E FESTAS

Para as compras, a Bahnhofstrasse é o lugar certo. Por essa elegante rua de Zurique, espalham-se sofisticadas lojas de roupas, joias e relógios – incluindo Rolex e Patek Philippe, as marcas mais célebres da Suíça.

As discotecas e os bares se concentram em Zürich-West, a antiga zona industrial e hoje a mais pulsante da cidade.

 

*Onde comer?

RESTAURANTES

– Kronenhalle

Sofisticado restaurante de pratos suíços e internacionais. Decorado com pinturas de Miró e Picasso.

Onde encontrar:
Rämistrasse, 4, Zurique
Tel.: +41 (0) 44 262 9900

 

– La Salle

Pratos inventivos num ambiente único – uma antiga fábrica de barcos em Zürich-West.

Onde encontrar:
Schiffbaustrasse, 4, Zurique
Tel.: +41 (0) 44 258 7071

 

– Confiserie Sprüngli

Fundada em 1836, a confeitaria mais tradicional da Suíça serve o Luxemburgerli, um bolinho recheado com cremes de vários sabores.

Onde encontrar:
Bahnhofstrasse, 21, Zurique
Tel.: +41 (0) 44 224 4646

 

*Onde ficar? 

HOTÉIS

– Park Hyatt Zurich

Atrás das paredes de vidro de sua moderna fachada, o Park Hyatt oferece quartos decorados com minimalismo e elegância.

O hotel se localiza a curtas caminhadas de distância do Lago de Zurique, da Bahnhofstrasse, a sofisticada rua de compras, e do centro histórico da cidade.

Foto: Hotel Park Hyatt

Onde encontrar:
www.zurich.park.hyatt.com

 

– The Dolder Grand

Com uma arquitetura que lembra a de um castelo, o Dolder Grand fica no alto de uma colina, entre a vida pulsante de Zurique e a tranquilidade da floresta.De lá, tem-se uma vista privilegiada da cidade.

O hotel foi inteiramente renovado no mais sofisticado estilo contemporâneo. Destaque para o moderno spa.

Foto: Hotel Dolder Grand

Onde encontrar:
www.thedoldergrand.com

 

– ST. MORITZ

No verão de 1864, o dono de um hotel de St. Moritz fez uma aposta com quatro ingleses. Eles precisariam voltar alguns meses depois para passar o inverno no vilarejo alpino. Se sofressem com o frio, as viagens de ida e volta seriam pagas pelo hotel. Mas, se gostassem da experiência, poderiam permanecer o tempo que desejassem. O dono do hotel venceu. E entrou para a história ao transformar os montes nevados dos Alpes num destino internacional de inverno!

St. Moritz, por um lado, é idílica. Está construída ao longo de uma suave colina e à beira de um lago – no verão, as águas refletem o azul do céu; no inverno, congelam. Por outro lado, a pequena cidade tem um ar cosmopolita, com boutiques sofisticadas e restaurantes e cafés elegantes.

A língua que os moradores de St. Moritz mais falam é o alemão, mas pelas ruas também se ouve o romanche, um dos quatro idiomas oficiais da Suíça.

St. Moritz
Foto: Teresa Perez Tours

*O que fazer?

SKI

Os moradores se orgulham do “clima de champanhe” de St. Moritz. O sol brilha, em média, 322 dias por ano.

O inverno, deliciosamente ameno, permite a prática de ski, snowboard e bobsled. Os esportes de neve na cidade vêm de longa data: St. Moritz abrigou as Olimpíadas de Inverno de 1928 e 1948.

St. Moritz
Foto: Teresa Perez Tours

*Onde ficar?

HOTÉIS

– Kempinski Grand Hotel des Bains

O hotel foi aberto em 1864, ano em que St. Moritz deixava de ser conhecida apenas pelas águas termais – daí o nome original Grand Hotel des Bains – e se tornava o primeiro resort de inverno dos Alpes. Hoje, após reformas, o Kempinski é um dos hotéis mais sofisticados e modernos da cidade.

No verão…
Foto: Kempinski Grand Hotel des Bains

… e no inverno!
Foto: Kempinski Grand Hotel des Bains

Onde encontrar:
www.kempinski.com/en/st-moritz/grand-hotel-des-bains

 

– Badrutt’s Palace Hotel

O Badrutt’s Palace é um dos símbolos de St. Moritz. Seu imponente edifício foi inaugurado em 1896, no coração da cidade, bem diante do lago e das montanhas. O hotel mantém a arquitetura original. No interior, modernizado, oferece suítes decoradas em estilo contemporâneo.

Foto: Badrutts Palace Hotel

Onde encontrar:
www.badruttspalace.com

 

– GSTAAD

Um dos resorts alpinos mais elegantes da Suíça, pode ser explorado de diversas maneiras. Andando pelas ruas do centro, sem pressa, entre chalés típicos, restaurantes premiados e vitrines de grifes internacionais.

A caminhada é particularmente agradável porque o trânsito de carros ali é proibido.

Gstaad
Foto: Teresa Perez Tours

*O que fazer?

SKI

Nos meses de neve, Gstaad ganha 220 quilômetros de pistas de ski e snowboard. A lista de atividades de inverno que se praticam na região é variada – do bobsled ao alpinismo no gelo, de passeios de trenó puxado por cachorros ao heli-ski. Ou então admirando a pequena Gstaad e sua natureza do alto!

Teleféricos levam ao topo das montanhas, até 2 mil metros acima da cidade. De balões, carregados pelo vento entre picos de neve eterna, avista-se lá embaixo, dependendo da época do ano, a vastidão branca do inverno ou os prados verdejantes e floridos do verão.

 

QUEIJO

Os queijos artesanais são a especialidade de Gstaad. O leite vem de vacas que sobem e descem os Alpes de acordo com a época do ano. No verão, com sino no pescoço, são levadas para o alto. Lá em cima, o pasto é mais verde e o ar é mais puro. No inverno, elas voltam para o pé da montanha, onde ficam protegidas em estábulos e se alimentam de feno.

Os queijos de Gstaad
Foto: Teresa Perez Tours

*Onde ficar?

HOTÉIS

– Gstaad Palace

Construído em 1913, o imponente Gstaad Palace se localiza no coração da cidade. Os quartos, em diferentes estilos, têm vista para os Alpes. Para uma genuína experiência suíça, o hotel oferece no alto de uma montanha uma cabana de 1786, rústica e confortável, usada na época por pastores.

Foto: Gstaad Palace

Onde encontrar:
www.palace.ch

 

– ZERMATT

O ar é mais puro em Zermatt! Desde 1947, é proibido o trânsito de veículos que poluem o ambiente. Salvo algumas poucas exceções, na pequena cidade só trafegam charretes e carruagens puxadas por cavalos e pequenos carros elétricos.

Em suas ruas tranquilas, tem-se a sensação de estar ao mesmo tempo no passado e no futuro. Mas não é só isso o que torna Zermatt especial.

 

*O que fazer?

SKI

Em Zermatt, estão as pistas de ski mais elevadas da Europa! A cidade é protegida por 39 das maiores montanhas dos Alpes, sendo a Matterhorn a mais célebre de todas.

Uma rede de teleféricos e funiculares leva os esquiadores a até 3.883 metros de altitude. Lá de cima, avistam-se as vizinhas Itália e França. Entre as pistas, há espaço para iniciantes e profissionais.

A altitude não deixa a neve derreter e faz de Zermatt um destino agitado o ano todo, até no verão. Essa época também é perfeita para cavalgadas, ciclismo, trekking, caminhadas…

 

PASSEIOS

– Matterhorn

Com 4.478 metros, a Matterhorn é a montanha mais fotografada dos Alpes. Basta olhar esta imagem para entender o motivo!

No lado suíço da montanha, fica a cidade de Zermatt. No italiano, a Matterhorn ganha o nome de Monte Cervino e abriga o resort de Breuil-Cervinia. Os esquiadores podem passar de um país ao outro pela montanha.

Matterhorn no verão…
Foto: Teresa Perez Tours

… e no inverno!
Foto: Teresa Perez Tours

*Onde ficar?

HOTÉIS

– Mont Cervin Palace

O Mont Cervin Palace fica no coração de Zermatt, ao pé da montanha.

Foi inaugurado em 1852 e ainda hoje é um dos hotéis mais sofisticados da cidade. Cada quarto tem uma decoração própria – uns clássicos e requintados, outros contemporâneos e minimalistas.

Foto: Mont Cervin Palace

Onde encontrar:
www.montcervinpalace.ch

 

– Riffelalp Resort 

O Riffelalp está abrigado num platô a 2.222 metros de altitude. Para chegar ao hotel, toma-se um trem em Zermatt – a viagem dura 20 minutos.

As suítes, aconchegantes, são decoradas no clássico estilo alpino. O Riffelalp é um hotel ski-in, ski-out: os hóspedes podem entrar e sair esquiando. Da piscina externa, tem-se uma vista privilegiada para a Matterhorn.

No verão…
Foto: Riffelalp Resort

… e no inverno!
Foto: Riffelalp Resort

Onde encontrar:
www.riffelalp.com