Roteiro de Itacaré a Trancoso de carro

Viagens pela América Latina por Roberto Farkas Bitelman

Conhecia já praticamente todo o litoral nordestino, pois trabalho com viagens há 15 anos, com exceção do trechinho no sul da Bahia que vai de Itacaré até Porto Seguro. Recentemente fiz essa viagem que foi curta, um pouco corrida, mas proveitosa e linda. Superou minhas expectativas e certamente voltarei para curtir com mais tempo.

Minha sugestão é iniciá-la em Serra Grande, um distrito um pouquinho ao sul de Itacaré, que fica a 30 minutos ao norte de Ilhéus, aeroporto que usamos para chegar lá. Por ali visitamos algumas praias, rios, cachoeiras e aproveitamos boas opções de comida em Serra Grande. Conheci o Txai Resort Itacaré, que é um espetáculo: acomodações, serviço, infraestrutura, charme e conforto – leia mais aqui. Vale muito a pena!

Relax no spa do Txai Itacaré

Relax no spa do Txai Itacaré
Foto: Roberto Farkas Bitelman

De lá segui de carro até Canavieiras (que já está 116km ao sul de Ilhéus, ou 1h45min), cidadezinha conhecida pela pesca do Marlin. Além de ser pitoresca, com casinhas coloniais, tem as ruas de paralelepípedos e um restaurante muito bom especializado bacalhau. É o Casa Verde, de uma simpática senhora de Cabo Verde.

Canavieiras e o restaurante Cabo Verde Foto: Roberto Farkas Bitelman

Canavieiras e o restaurante Casa Verde
Foto: Roberto Farkas Bitelman

Dali é possível pegar um barquinho tipo voadeira e chegar em Belmonte, do outro lado do Rio Jequitinhonha, em menos de 1 hora.

Esse trajeto é maravilhoso, e inclui passagens por manguezais, praias de rio, vistas para o mar e muita vegetação nativa. Se feito com calma e parando numa bela praia (recomendo a Barra do Peso), dura cerca de 3 horas.

Como estava de carro, tive que dar uma volta grande, pegando a BR 101, o que levou um pouco mais de 3 horas até chegar em Belmonte. Foi dali que fizemos o passeio que mencionei acima, chegando quase até Canavieiras novamente.

Belmonte também é uma cidadezinha linda, com muita história da época da colonização portuguesa. Oferece grande variedade de peixes, um astral de cidade do século 19 e localização perfeita para esse tipo de turismo, itinerante. Além de estar a 40 minutos de barco de Canavieiras, está a 50km (ou 40 minutos) de Santo André, talvez o ponto mais lindo da viagem.

Casa de peixes em Belmonte Foto: Roberto Farkas Bitelman

Casa de peixes em Belmonte
Foto: Roberto Farkas Bitelman

Santo André é um distrito de Santa Cruz da Cabrália, que está separada por um rio, mas com balsa para a travessia. Trata-se de um pequeno trecho que concentra boas pousadas, ótimos restaurantes, gente hospitaleira e, principalmente, um cenário de cair o queixo.

Com a maré cheia, o rio chega quase a invadir o muro da Pousada Corsário, onde me hospedei. Outra opção supercharmosa é a Pousada Victor Hugo, além da Campo Bahia, onde ficou hospedada a seleção alemã de futebol durante a Copa do Mundo, com mais infra e luxo.

Pousada Victot Hugo em Santo André Foto: Roberto Farkas Bitelman

Pousada Victor Hugo em Santo André
Foto: Roberto Farkas Bitelman

No final de tarde que cheguei, entendi que aquilo era o rio e que logo adiante estava o mar, separados por uma ilha e uma barreira de corais. Mas foi só no dia seguinte, com a maré baixa, que entendi o paraíso onde estava.

Forma-se uma praia de rio maravilhosa, por onde caminhei uns 15 minutos até chegar numa ponta que encontra o mar, e de onde começa uma praia muito, muito bonita. Fiz um passeio de barco, onde pude ver que daquela praia nascem outras, todas praticamente desertas. Nesse passeio fomos até um ilha de areia, visitamos a barreira de corais, demos a volta na ilha em frente ao vilarejo e voltamos.

Fim de tarde com lua em Santo André Foto: Roberto Farkas Bitelman

Fim de tarde com lua em Santo André
Foto: Roberto Farkas Bitelman

Foram apenas 2 noites por lá, mas o destino merece muito mais. Ficaria 1 semana por lá tranquilamente!

Pra terminar, fomos até Porto Seguro (5 minutos até a balsa, 15 minutos de balsa e mais 20 minutos até o aeroporto), de onde seguimos por mais 1 hora até Trancoso, onde já havia estado antes, mas que continua um paraíso natural.

Fiquei hospedado na Pousada Etnia, no Quadrado, que além de ser muito confortável e charmosa, tem um serviço de primeiríssima categoria, comandada de perto por seus proprietários.

Piscina da Pousada Etnia em Trancoso Foto: Roberto Farkas Bitelman

Piscina da Pousada Etnia em Trancoso
Foto: Roberto Farkas Bitelman

Recomendo em torno de 10 dias para fazer este roteiro e, se possível, sem carro, para poder aproveitar as travessias de barco, que, além de lindas, economizam um bom tempo.

Administrador especializado em Comportamento do Consumidor, Roberto Farkas Bitelman está no ramo de viagens há 13 anos e seu trabalho é focado em destinos no Brasil e América Latina. É fundador do selo SUL Hotels, que reúne os melhores hotéis independentes da América Latina, e sócio dos restaurantes Le Jazz em São Paulo. Sua grande paixão é descobrir os melhores lugares para se hospedar, comer e visitar pelo nosso continente e é esse o assunto tratado por Roberto no Magari blu.