Regent Seven Seas Voyager: cruzeiro pelo Mar Báltico

Hoje embarcamos – literalmente – numa nova viagem: o cruzeiro Regent Seven Seas Voyager. A partida aconteceu em Copenhagen e o roteiro engloba, ao total, 8 países banhados pelo Mar Báltico. A primeira parada é Warnemünde (Alemanha), seguida por Kalipeda (Lituânia); Riga (Letônia); Helsinki (Finlândia); São Petersburgo (Rússia), Tallinn (Estônia) e, por fim, Estocolmo (Suécia). São 10 dias de cruzeiro.

Regent Seven Seas Voyager

Vista do navio atracado no Porto de Copenhagen
Foto: magari blu

O check-in no navio é bem tranquilo. As malas são levadas ainda em terra pela equipe, é feita conferência de passaportes na entrada do navio e, na sequência, os hóspedes são encaminhados para o teatro, onde o registro é feito por inúmeros atendentes simultaneamente. É rápido. A suite levaria mais 1 hora para ficar pronta, então aproveitamos para já almoçar no navio no restaurante junto à piscina apreciando a paisagem.

São, ao total, 4 restaurantes espalhados pelo navio, sendo que 2 deles pedem reservas com antecedência: Prime 7, especializado em carnes e frutos do mar, e Signatures, com menu francês. Há ainda o Pool Grill para lanches junto à piscina. O navio conta com jacuzzi, bar, boate, teatro, cassino, biblioteca, sala de jogos, lojinha, spa, fitness center, cabeleireiro, golf driving nets e quadra de tênis.

Regent Seven Seas Voyager

A piscina do navio
Foto: magari blu

A grande vantagem dos cruzeiros de luxo da Regent é que são all-inclusive, mesmo! Todas as refeições, lanches, sucos, refrigerantes e bebidas alcóolicas fazem parte do pacote, além de determinados passeios em terra. Alguns vinhos da carta não estão incluídos e são pagos à parte, mas, a não ser que você seja um enófilo convicto, pode conviver muito bem com as opções incluídas.

Além disso, é bem interessante o fato de se conhecer uma variedade de destinos sem perceber o deslocamento (afinal, o navio viaja a maior parte do tempo enquanto estamos dormindo) e sem precisar trocar de hotel e ficar na função de arrumar e desarrumar mala mais de uma única vez. É muito prático!

Regent Seven Seas Voyager

Entradinha de camarões no restaurante Compass Rose no jantar
Foto: magari blu

São 9 tipos de cabines no Voyager e são todas externas, com varanda. Espaçosas e confortáveis, com closet para guardar as roupas. Na chegada, as malas já estavam na cabine e uma proteção na cama com o escrito “Welcolme” dá as boas-vindas e impede o contato direto da mala com os lençóis. Um detalhe bem-pensado.

Regent Seven Seas Voyager

A proteção no lençol para apoiar as malas na chegada
Foto: Divulgação

Regent Seven Seas Voyager

Champanhe e chocolates de boas-vindas
Foto: magari blu

Regent Seven Seas Voyager

Clique da varanda da cabine
Com o navio atracado no Porto de Copenhagen
Foto: magari blu

O dress code no navio é o que chamam de “elegant casual”. Durante o dia, trajes esportivos e de banho são permitidos pelo navio. A partir das 18h, pede-se que os looks veraneio sejam substituídos por vestidos, saias, camisas, calças de alfaiataria – blazers para os homens são opcionais. Nada de jeans ou tênis nos restaurantes do navio à noite. Leve sempre uma malha ou pashmina pois o ar condicionado está sempre ligado!

Regent Seven Seas Voyager

Pôr do sol no mar visto da cabine
Foto: magari blu

*Leia aqui sobre o nosso cruzeiro!

Para mais informações sobre Regent Seven Seas:
www.rssc.com

Ana Maria Junqueira está sempre viajando pelo mundo. É editora do Magari blu, consultora em viagens e a embaixadora de viagens da Perrier no Brasil.