Quito, o centro histórico mais preservado da América do Sul

Viagens pela América Latina por Roberto Farkas Bitelman

Sempre que ouvia falar de Quito e do Equador, pensava em algo distante, que talvez não fosse prioridade em conhecer, e questionava se valia a pena ou não explorar o país, já que temos tanta coisa bacana em países vizinhos também.

Porém bastou ir uma vez para lá, para ver o quão incrível é o Equador e, em especial, a capital. Quito é uma cidade não muito grande e vibrante. O centro histórico é muito bonito e é considerado o maior e mais bem preservado das capitais sul-americanas. Repleto de catedrais, igrejas, prédios oficiais do governo, museus e incríveis casarões, o centro de Quito fascina qualquer viajante ligado em cultura, arte e gastronomia.

RFB P1000146

Plaza San Francisco no centro histórico de Quito
Foto: Reprodução

Na zona sul estão os hotéis de padrão internacional, que atendem muito bem a viajantes a negócios. Mas o centro histórico da cidade guarda muitos segredos e experiências pitorescas, que variam de passeios a pé por ruelas e ladeiras, até degustação de produtos típicos equatorianos em locais onde a boa hospitalidade reina.

A dica especial de hospedagem é o hotel Casa Gangotena, um casarão que pertenceu a uma das famílias mais ricas do país e que foi cuidadosamente restaurado, com 31 quartos impecáveis, debruçados sobre a Plaza San Francisco, coração do centro histórico da cidade.

Hotel Casa Gangotena
Foto: Divulgação

Quarto da Casa Gangotena
Foto: Divulgação

Além de merecer 2 dias inteiros para entender a cidade, Quito é o ponto de partida para explorar 2 regiões: Cotopaxi e a rota dos vulcões ao sul, e Cotacachi e o mercado indígena de Otavalo (o maior mercado indígena do mundo) ao norte. Ambas a aproximadamente 2 horas da capital. Além disso, a cidade é parada para começo ou final perfeito de uma exploração em Galápagos, destino mais conhecido do país.

Boa viagem!

*Administrador especializado em Comportamento do Consumidor, Roberto Farkas Bitelman está no ramo de viagens há 13 anos e seu trabalho é focado em destinos no Brasil e América Latina. É fundador do selo SUL Hotels, que reúne os melhores hotéis independentes da América Latina, e sócio dos restaurantes Le Jazz em São Paulo. Sua grande paixão é descobrir os melhores lugares para se hospedar, comer e visitar pelo nosso continente e é esse o assunto tratado por Roberto no Magari Blu.