Potsdamer Platz em Berlim

Dicas de Berlim por Laura Ammann

É difícil encontrar alguém que tenha ido à Berlim sem passar pela Potsdamer Platz. No destino de quase todos os turistas, a Potsdamer Platz é uma região importante no centro da cidade, a cerca de 1 km de outras atrações requisitadas: o Portão de Brandemburgo, o Parlamento, o parque de Tiergarten e a Philarmonie, casa da Filarmônica de Berlim.

A Potsdamer Platz é famosa pelos seus modernos prédios, pelo seu cruzamento atarefado e pelo ar executivo que emana, não tão frequente em Berlim. Já nas décadas de 1920 e 1930 a Potsdamer Platz era uma praça viva, que nada deixava a desejar a outros polos europeus: bares, restaurantes e cinemas eram uma constante atração aos ânimos jovens e noturnos. Símbolo da pulsação moderna dos anos 1920, a Potsdamer Platz era abastecida por trens, bondes, transporte subterrâneo e ônibus. Além disso, todos os dias, mais de 20 mil carros passavam pela região. Não é ao acaso que foi lá também que, em 1924, foi erguido o primeiro farol de trânsito europeu.

Potsdamer Platz nos anos 1920 Foto: Reprodução / Landesarchiv Berlin

Potsdamer Platz nos anos 1920
Foto: Reprodução / Landesarchiv Berlin

Durante a Segunda Guerra, no entanto, a localidade foi fortemente bombardeada e reduzida a quase nada. O pouco que sobrou foi demolido em 1961, quando a construção do muro que dividiu Berlim por 28 anos começou. Com o fim da Segunda Guerra e a determinação dos 4 setores, a Potsdamer Platz se encontrava no triângulo fronteiriço soviético, inglês e americano. Portanto, durante os 28 anos de divisão, a região era somente área de fronteira: localizada entre muros, era o tipo de área conhecida como “no man’s land”, ou seja, “terra de ninguém”.

Após a queda do muro, em novembro de 1989, a Potsdamer Platz e seus arredores eram um vasto campo de terra e concreto. Em 1990, as ruínas dessa história foram palco do concerto “The Wall”: Roger Waters e sua banda, Pink Floyd, intermediaram os momentos de esquecimento e de massiva reconstrução desse querido ponto berlinense.

A reconstrução de uma série de quarteirões começou em 1994 e transformou o local em um dos maiores canteiros de obra da Europa na década de 1990. Curiosamente, durante esse período a Potsdamer Platz se tornou um ponto turístico: um prédio das redondezas, localizado na Lepziger Platz, era o que melhor dava vista para a obra e acabou recebendo muitas pessoas entre 1995 e 2001 com o objetivo de observar a reconstrução.

O Daimler-Chrysler-Areal: da esquerda para a direita, os arquitetos responsáveis são Renzo Piano e Christoph Kohlbecker; Hans Kollhoff; e Helmut Jahn. Este último prédio, tem o elevador mais rápido da Europa Foto: Laura Amman

O Daimler-Chrysler-Areal: da esquerda para a direita, os arquitetos responsáveis são Renzo Piano e Christoph Kohlbecker; Hans Kollhoff; e Helmut Jahn. Este último prédio, tem o elevador mais rápido da Europa
Foto: Laura Amman

Um dos registros desse período existe através do trabalho do fotógrafo alemão Michael Wesely, que é especialista em fotografias de exposição muito longa. Suas fotografias têm tempo de exposição de meses ou anos e um de seus trabalhos registrou durante 2 anos e 2 meses a reconstrução da Potsdamer Platz.

Hoje, uma das atrações da praça é sua arquitetura. Boa parte dos prédios levam o nome do arquiteto Renzo Piano, que desenhou também o Centro George Pompidou, em Paris, e o New York Times Building, em Nova York. Entretanto, alguns arquitetos de diferentes nacionalidades, como o japonês Arata Isozaki e o britânico Richard Rogers assinam algumas das construções. Um conjunto de 3 prédios comerciais especialmente famoso, denominado Daimler-Chrysler-Areal, é um dos cartões postais da praça.

Outro ponto imperdível da Potsdamer Platz atual é o Sony Center. Aberto em 2000, o complexo de escritórios e restaurantes abriga também um dos melhores cinemas de Berlim e o Museu do Filme (Filmhaus Museum).

Sony Center Foto: Laura Ammann

Sony Center
Foto: Laura Ammann

A arquitetura do Sony Center (desenhada pelo alemão Helmut Jahn) impressiona: o teto de vidro, que lembra um grande paraquedas, garante luz natural durante o dia e muda constantemente de cor à noite.

Sony Center Foto: Laura Ammann

Sony Center
Foto: Laura Ammann

Ao lado do complexo, está a Potsdamer Bahnhof, uma das principais estações de trem da cidade. Construída inicialmente em 1838, a primeira estação de trem de Berlim foi fechada em 1945 e hoje dá lugar a um enorme complexo de metrô, trens municipais e intermunicipais. À frente de uma das entradas da estação, um lembrete do passado: uma réplica do primeiro farol de trânsito europeu.

Fale conosco para organizar a sua viagem:

[email protected]

Formada em Produção Editorial e especialista em Museologia e Curadoria, Laura Ammann é co-fundadora do projeto Arte Conceituando, que publica entrevistas sobre arte. Laura é de São Paulo, mora em Berlim e traz as suas dicas no Magari Blu.