Por que contratar seguro-viagem?

Sempre contrato seguro-viagem em qualquer viagem que eu faço. Eu digo que é algo que a gente paga torcendo para não usar mas que, se precisar, vai agradecer ter contratado. Confira como foi a minha experiência com o seguro-viagem na Europa.

Eu escolhi a empresa Travel Ace para fazer o seguro-viagem para ir à Europa. Qualquer viajante para a Europa precisa ter seguro obrigatório com cobertura de EUR 30.000. Eu sempre faço um plano maior porque quando a gente fala de saúde e hospital, EUR 30.000 podem ser atingidos facilmente e me sinto mais tranquila com uma cobertura maior.

Fiz então o plano que se chama USA da Travel Ace, que cobre USD 200.000 de despesas médicas e hospitalares. Emiti um seguro pra cada um de nós, ou seja, um para mim, um para o meu marido e um para o bebê.

Além disso, cobre despesas odontológicas, farmacêuticas, invalidez, regresso antecipado, entre tantos outros itens, como assistência na localização de bagagem, danos à mala, etc.

Tivemos que adiar nossa viagem em 3 dias porque o meu filho ficou com otite e bronquiolite no Brasil. Então de 35 dias a viagem passou a ter 32. Por isso, viajei me sentindo ainda mais segura porque tinha o seguro viagem caso precisasse.

Quando fomos, o meu filho já estava bem e curtimos a primeira semana lá. Aí ele começou a colocar a mão no ouvido direto quando estávamos em Roma. Ele não tinha outros sintomas, mas aquilo me preocupou, afinal, ele tinha tido otite antes da viagem.

Baixei o aplicativo da Travel Ace, acessei o app e iniciei um chat no qual relatei o que estava acontecendo, onde eu estava e solicitei uma visita de um médico no hotel para examina-lo. Eles me pediram um número de telefone, me ligaram uns minutos depois e combinaram comigo a visita de uma médica pediatra para aquele dia.

A médica chegou pontual no hotel e fomos com ela até o quarto. Ela examinou o bebê – que não tinha nada, graças a Deus! – conversou bastante com a gente e deu diversas orientações. Inclusive me deixou uma receita médica se eu precisasse dar remédio caso ele viesse a desenvolver mesmo uma otite. Não precisou, ainda bem.

Continuamos a viagem e uns 20 dias depois de novo ele voltou a colocar a mão no ouvido e estava com o nariz um pouco entupido. Estávamos bem no interior da Toscana. De novo fiz todo o trâmite. Desta vez a Travel Ace me ligou e disse que eles não tinham médico na região que eu estava e, por isso, que poderíamos consultar qualquer médico ou hospital e pedir o reembolso. Nós levamos o meu filho à pediatra de uma cidadezinha chamada Castellina in Chianti, que foi muito atenciosa também. Mais uma vez, e felizmente, a otite não tinha retornado. Ela receitou uma solução isotônica maravilhosa para o nariz que zerou ele rapidinho.

No final das contas, as vezes que acionei o seguro foram mais por precaução nossa, por conta do que ele tinha passado antes da viagem. Mas eu fiquei muito satisfeita com o atendimento, retorno rápido, eficaz, gentil e quis compartilhar essa dica com vocês.

A Travel Ace é parceira da nossa agência Magari Blu viagens e nós também emitimos seguro viagem para nossos clientes.

Fale conosco:

[email protected] 

Ana Maria Junqueira é a idealizadora do blog Magari Blu e fundadora da premiada agência de viagens Magari Blu Viagens. Escreve sobre viagens, faz a curadoria de todo o conteúdo que você vê por aqui e organiza roteiros personalizados e reservas.