Passeios de barco para Phi Phi Islands e Maya Bay

27/03/2016

Hospedar-se na costa tailandesa, na região de Krabi ou Phuket (que, aliás, os tailandeses pronunciam o ‘t’ no final), merece pelo menos um dia de passeio de barco pelas ilhas, que são a cereja do bolo nessa região.

Região de Krabi Foto: Ana Maria Junqueira

Região de Krabi
Foto: Ana Maria Junqueira

*Tipos de barcos

A embarcação tradicional é feita de madeira e se chama “long tail boat”. É bem mais em conta do que alugar um speed boat privativo.

Long tail boat, barco de madeira típico da Tailândia Foto: Ana Maria Junqueira

Long tail boat,
barco de madeira típico da Tailândia
Foto: Ana Maria Junqueira

Long tail boat Foto: Ana Maria Junqueira

A bordo do long tail boat
Foto: Ana Maria Junqueira

A diferença, claro, é o conforto. Enquanto num passeio regular o dia é passado em grupo, no privativo você tem a embarcação só pra você, e pode decidir se quer ficar um pouco mais ou um pouco menos de tempo em cada parada.

Passeio com speed boat Foto: Ana Maria Junqueira

Passeio com speed boat
Foto: Ana Maria Junqueira

Ainda, o long tail boat, apesar de charmoso, é bem rústico e, além de não ter assento estofado, é mais devagar, levando mais tempo nas travessias do que a lancha speed boat.

Speed boat Foto: Ana Maria Junqueira

A bordo do speed boat
Foto: Ana Maria Junqueira

Seja qual for sua escolha, quanto antes sair de barco, melhor, pois conforme a manhã vai passando, as centenas de excursões vão tomando conta das ilhas.

Região de Krabi Foto: Ana Maria Junqueira

Região de Krabi
Foto: Ana Maria Junqueira

As ilhas não têm serviço de praia com espreguiçadeira, guarda-sol e nem comidinhas e bebidinhas vendidas na areia. Por isso, informe-se se o passeio contratado disponibiliza toalhas, comes e bebes.

*Onde ir?

– Bamboo Island

A ilhota tem uma faixa de areia curta e é bem vazia. Vale a pena a parada aqui para tomar sol com mais privacidade, antes de seguir para as ilhas mais turísticas.

Bamboo Island Foto: Ana Maria Junqueira

Bamboo Island
Foto: Ana Maria Junqueira

Durante o período em que curti a praia, não tinha praticamente ninguém, fora um casal que chegou depois de nós e que nem nos incomodou.

Bamboo Island Foto: Ana Maria Junqueira

Bamboo Island
Foto: Ana Maria Junqueira

Quando você vir quão cheias são as outras ilhas, vai entender a preciosidade que é uma ilhota deserta para curtir esse visual e se bronzear sem um monte de turistas por perto.

Bamboo Island Foto: Ana Maria Junqueira

Bamboo Island
Foto: Ana Maria Junqueira

– Maya Bay

Maya Bay ficou famosíssima no mundo todo depois do filme “A Praia” com o Leonardo di Caprio. Uma pena, pois a imensa quantidade de turistas estraga o visual paradisíaco do mar esverdeado entre rochas.

Maya Bay Foto: Ana Maria Junqueira

Maya Bay
Foto: Ana Maria Junqueira

O que mais impressiona é que os visitantes não estão ali para curtir a praia e o mar. A maior parte deles quer conhecer esse pedacinho de paraíso apenas para tirar fotos, e ficam circulando pela areia com máquinas fotográficas, selfie sticks (os paus de selfie) e celulares – sem falar nos que vão até de roupas.

Maya Bay Foto: Ana Maria Junqueira

Maya Bay
Foto: Ana Maria Junqueira

Mesmo assim, vale a pena a visita. Tente eliminar mentalmente todas aquelas pessoinhas e aprecie a vista!

Maya Bay Foto: Ana Maria Junqueira

Maya Bay
Foto: Ana Maria Junqueira

*Dica: bem ao lado de Maya Bay fica uma outra prainha que é muito mais vazia e onde dá para tomar sol com tranquilidade.

A praia ao lado de Maya Bay Foto: Ana Maria Junqueira

A praia ao lado de Maya Bay
Foto: Ana Maria Junqueira

– Phi Phi Islands

Umas das ilhas que mais sofreu com o tsunami em 2004, hoje não se vê resquícios dos estragos em Phi Phi.

Phi Phi Islands Foto: Ana Maria Junqueira

Phi Phi Islands
Foto: Ana Maria Junqueira

Apesar do visual paradisíaco junto ao mar, o centrinho é meio bagunçado, um amontoado de lojinhas e restaurantes sem o mesmo charme da natureza no entorno.

Centro de Phi Phi Foto: Ana Maria Junqueira

Centro de Phi Phi
Foto: Ana Maria Junqueira

Recomendo terminar o passeio de barco em Phi Phi, com almoço à beira da praia antes de voltar para o hotel.

Em Phi Phi Islands Foto: Ana Maria Junqueira

Em Phi Phi Islands
Foto: Ana Maria Junqueira

Durante o passeio, entre uma parada e outra, os barcos passam em lagoas naturais de água salgada, emolduradas por falésias calcárias. Ali dá para fazer snorkeling, nadar, ou simplesmente curtir o visual a partir do barco.

Lagoa emoldurada pelas ilhotas Foto: Ana Maria Junqueira

Lagoa emoldurada pelas ilhotas
Foto: Ana Maria Junqueira

As lagoas conseguem ser ainda mais lindas do que as praias.

Perfeito para snorkeling! Foto: Ana Maria Junqueira

Perfeito para snorkeling!
Foto: Ana Maria Junqueira

*E o tsunami?

É inevitável falar dessa região sem se recordar do tsunami de 2004, que devastou e horrorizou todo o planeta tamanha a destruição. Muitas pessoas, erroneamente, pensam então que dezembro na Tailândia é “época de tsunami”.

Ora, não existe uma temporada pois é um fenômeno natural do tipo de um maremoto. E, por ser causado por movimentos de placas tectônicas, não acontecem somente em um determinado período do ano, nem todo ano, e muito menos apenas na Tailândia. Portanto, são gigantecas as chances de nada acontecer na sua viagem, seja em qual mês for.

De todo jeito, não custa ficar de olho nas rotas de fuga, sempre no sentido oposto ao mar.

Rota de evacuação em caso de tsunami Foto: Ana Maria Junqueira

Rota de evacuação em caso de tsunami
Foto: Ana Maria Junqueira

*Trilha sonora

Relembre o hit “Pure Shores”, tema do filme “A Praia”, que tem tudo a ver com a vibe do litoral da Tailândia! PLAY!

Deu para entender agora por que a região foi escolhida para rodar o filme que trata de uma praia que é, na verdade, o paraíso na terra?!

Fale conosco para organizar a sua viagem:

[email protected] 

Ana Maria Junqueira está sempre viajando pelo mundo. É editora do Magari Blu, consultora em viagens e a embaixadora de viagens da Perrier no Brasil.