Onde ficar em Luang Prabang: Maison Souvannaphoum

09/02/2016

Luang Prabang é uma cidadezinha no Laos, onde praticamente tudo acontece em uma única rua, a rua do mercado noturno – que, by the way, é o melhor (e mais barato) de artesanato do sudeste asiático – e é também a rua da cerimônia do Alms Giving com os monges.

Por ser uma cidade pequena, é bem interessante escolher um hotel com boa localização, de onde dá para sair para passear e jantar a pé.

O Maison Souvannaphoum foi a minha escolha em Luang Prabang, um daqueles achados que valem a pena serem compartilhados. O hotel está situado em um casarão de estilo colonial francês que pertencia ao príncipe Souvanna Phouma. E a sensação é mesmo de estar em casa.

Maison Souvannaphoum Foto: Divulgação

Maison Souvannaphoum
Foto: Divulgação

Maison Souvannaphoum Foto: Ana Maria Junqueira

Maison Souvannaphoum
Foto: Ana Maria Junqueira

Sem falar que está na mencionada rua do mercado noturno e a uma quadra do mítico rio Mekong. Localização perfeita: todas as noites, saía para bater perna, fazer umas comprinhas e jantar. Na volta, 2 minutos de tuk tuk a USD 1 por pessoa e já estávamos no hotel.

Captura de Tela 2016-02-07 às 7.02.30 PM

O Maison Souvannaphoum tem uma piscina agradável que fica junto ao restaurante. As mesas na varanda, aliás, são a melhor pedida para as refeições.

Piscina do Maison Souvannaphoum Foto: Divulgação

Piscina do Maison Souvannaphoum
Foto: Divulgação

Restaurante Foto: Divulgação

Restaurante
Foto: Divulgação

No café da manhã, na estação quente onde são feitos ovos mexidos e omeletes, são preparadas na hora panquequinhas de óleo de coco. Eu nunca havia comido antes e não as encontrei em mais nenhum outro lugar da Ásia por onde passei. Tem que provar: doces e leves.

Panquecas de coco no Maison Souvannaphoum Foto: Divulgação

Panquecas de coco no Maison Souvannaphoum
Foto: Divulgação

Os quartos têm um tamanho bom, varanda e vista para a piscina, dispostos em dois andares.

Quarto do Maison Souvannaphoum Foto: Divulgação

Quarto do Maison Souvannaphoum
Foto: Divulgação

Vista do quarto Foto: Ana Maria Junqueira

Vista do quarto
Foto: Ana Maria Junqueira

Maison Souvannaphoum Foto: Divulgação

Maison Souvannaphoum
Foto: Divulgação

Na chegada, a recepção com os roupões cor-de-laranja Foto: Ana Maria Junqueira

Na chegada, a recepção com os roupões cor-de-laranja
Foto: Ana Maria Junqueira

Detalhes que fazem a diferença: Junto à porta do quarto Foto: Ana Maria Junqueira

Detalhes que fazem a diferença:
Junto à porta do quarto
Foto: Ana Maria Junqueira

A estátua do Buda no segundo andar do casarão Foto: Ana Maria Junqueira

A estátua do Buda no segundo andar do casarão
Foto: Ana Maria Junqueira

Detalhe do lindo Buda Foto: Ana Maria Junqueira

Detalhe do lindo Buda
Foto: Ana Maria Junqueira

O SPA do hotel é todo aberto com tendas rústicas, com ar condicionado, e a massagem é forte e renovadora. Ah, a Ásia…

SPA do hotel Foto: Divulgação

SPA do hotel
Foto: Divulgação

Na noite do ano novo, eu estava em Luang Prabang e escolhi a ceia do hotel para jantar. Eram poucas mesas, de hóspedes, dispostas junto à piscina. Graciosos jovens apresentaram-se em números de dança típicos do Laos. A delicadeza dos movimentos e os detalhes das fantasias contribuíram para que o jantar fosse ainda mais especial.

As graciosas dançarinas e eu no ano novo! Foto: Ana Maria Junqueira

As graciosas dançarinas e eu no ano novo!
Foto: Ana Maria Junqueira

A gentileza dos funcionários do hotel já se inicia antes de chegarmos. Quando entrei em contato para reservar o hotel por e-mail, fui atendida pela simpaticíssima Yvonne, uma espanhola da Ilhas Canárias que é a general manager do Maison Souvannaphoum. Depois de tirar muitas dúvidas, inclusive sobre onde passar a virada de ano, num vai e vem de e-mails, já sentia a Yvonne como uma amiga. Não foi diferente quando cheguei lá. Passamos todos juntos o réveillon!

Trouxe de volta, nas lembranças, a cordial staff do hotel, sempre com um sorriso no rosto, dizendo “saibadi”, que é “olá” em laosiano: ສະບາຍດີ. Como não amar?!

Testado e super aprovado pelo Magari Blu!

*Reveillon no Laos: diferentemente do Brasil, em Luang Prabang não acontecem grandes comemorações no ano novo. O jantar começou e terminou cedo. À meia-noite, fomos até o local do mercado noturno onde havia sido montado um palco com show de bandas locais – mas nada de música típica e, sim, rock ‘n roll! O mais divertido foi acompanhar a contagem regressiva, quando não se entende nada dos números. Não sabia se era 10, 9 ou 2 e 1. 😀

Fale conosco para organizar a sua viagem:

[email protected] 

Ana Maria Junqueira está sempre viajando pelo mundo. É editora do Magari Blu, consultora em viagens e a embaixadora de viagens da Perrier no Brasil.