Onde comer em Siem Reap

Viagens pela Ásia por Adriana Lage

Siem Reap já não é a mesma desde quando novos restaurantes começaram a abrir suas portas e mudaram o conceito de gastronomia há cerca de 4 anos.

Nomes de chefs locais e expatriados estão se destacando pelos esforços em resgatar a gastronomia cambojana, que quase desapareceu durante o terrível regime do Khmer Vermelho nos anos 70, junto com toda a cultura do país.

Visitá-los significa provar releituras modernas de receitas tradicionais, passadas de geração a geração, em ambientes elegantes que esbanjam o belíssimo artesanato cambojano em sua decoração.

Muitos destes restaurantes estão em endereços próximos ao rio que atravessa a cidade, no bairro colonial.

Asseguro que você terá uma experiência gastronômica especial, mergulhando nos aromas e sabores locais como os peixes frescos do lago Tonlé Sap, misturados a leite de coco e capim-cidreira.

Não vá embora sem antes provar o Fish Amok, prato nacional do Cambodia. Você vai querer levar a receita pra casa! E experimente também pratos que incluem frutas, como manga e jaca.

Fish Amok
Foto: Adriana Lage

Confira 4 restaurante para comer bem em Siem Reap:

Cuisine Wat Damnak

Eleito o melhor restaurante do Cambodia em 2016, o Cuisine Wat Damnak figura entre os 50 melhores restaurantes da Ásia em 2017 segundo a lista Asia’s 50 Best Restaurants.

Cuisine Wat Damnak
Foto: Adriana Lage

O chef francês Joannès Rivière cria pratos tradicionais da cozinha Khmer em uma releitura contemporânea. Toda semana, apresenta um novo cardápio com duas opções de 6 pratos para o jantar.

Recomendo fazer reserva com pelo menos um mês de antecedência diretamente pelo site do restaurante. Pela fama, ele é bastante concorrido e eles fecham por 15 dias em algumas datas do ano.

O restaurante abre apenas para o jantar.

Onde encontrar:
cuisinewatdamnak.com

Chanrey Tree Restaurant

Super dica que veio no meu roteiro by day da Magari Blu: este restaurante tem ambiente rústico descolado e vários artesanatos Khmer espalhados por todos os lugares.

Chanrey Tree
Foto: Reprodução

Serve pratos tradicionais cambojanos com releitura e apresentação modernas. Se você for um aventureiro gastronômico, peça a rã recheada com carne de porco moída e noodles com molho de tomate e amendoim.

Na entrada, repare na foto do jogador inglês David Beckham, que jantou aqui em 2015.

Abre para almoço e jantar. Ao lado, o restaurante-irmão Sokkah River tem menu francês mas também usa o mesmo cardápio do Chanrey Tree como opção.

Onde encontrar:
chanreytree.com

Ember

Um dos dois restaurantes do hotel Belmond La Résidence d’Angkor, o Ember é ideal para um lanchinho rápido ou um almoço mais leve após visitar as ruínas de Angkor Wat.

Ember
Foto: Adriana Lage

Sabe daqueles lugares que parecem um refúgio ao calor e burburinho turístico? Ele está cercado de vegetação e próximo à piscina do hotel e você pode escolher uma mesa na área externa junto ao verde ou no salão com ar condicionado.

Saladas, sopas, pizzas e sanduíches estão no cardápio além de pratos asiáticos com leve toque mexicano executados pelo chef Saúl García Ramos Cristiani – de origem mexicana, lógico.

Aberto para o almoço e para o jantar. Fecha aos domingos e abre apenas para o jantar aos sábados.

Onde encontrar:
www.belmond.com

King’s Road

King’s Road é um mini shopping bacanérrimo repleto de restaurantes de cozinhas diferentes, feira de artesanato e lojinhas. Tem até uma loja das Havaianas!

Ótima opção para passear no início da noite e depois estender para um dos restaurantes. Entre os meus preferidos, o italiano Terrazza, o japonês Hashi e o bistrô francês Chez M. Paul. Ah, aqui também fica o internacional Hard Rock Café.

King’s Road
Foto: Adriana Lage

Fale conosco para organizar a sua viagem:

[email protected] 

Empresária, desbravadora e autora do blog de viagens acamminare.com, Adriana trabalhou anos junto a pilotos de uma grande companhia aérea. Com sede do mundo, tem o carimbo em mais de 40 países e prefere o estilo slow travel, para ir além dos roteiros básicos. Em 2016 partiu para a Ásia sem previsão de retorno e é de lá que envia as dicas para o Magari Blu.