Linyanti em Botswana: Duma Tau Camp

Duma Tau significa “o rugido do leão” em tswana, a língua local de Botswana. É o nome do segundo camp por onde passei na região do Delta do Okavango, também parte da incrível rede Wilderness Safaris – leia mais aqui.

Duma Tau Camp Foto: magari blu

Duma Tau Camp
Foto: magari blu

Mas, apesar do lindo nome, não foram os leões que despertaram a minha atenção por ali. E, sim, água, muita água. Está localizado na Linyanti Wildlife Reserve, que faz fronteira com o Chobe National Park, e fica junto ao Canal Savute na Lagoa Osprey, uma das muitas lagoas do sistema de pântanos do Linyanti.

A vista do Duma Tau Camp Foto: magari blu

A vista do Duma Tau Camp
Foto: magari blu

O Duma Tau Camp foi construído sobre decks e plataformas, o que rende belas paisagens e, claro, uma certa segurança com relação a visitas dos animais.

Duma Tau Camp Foto: magari blu

Duma Tau Camp
Foto: magari blu

Tenda do Duma Tau Camp Foto: magari blu

Tenda do Duma Tau Camp
Foto: magari blu

Em alguns momentos, inclusive, as passarelas que ligam as tendas à área comum são rebaixadas até o chão, formando verdadeiros cruzamentos para elefantes e hipopótamos que desejem atravessar a água e passar pelo camp.

Elefante atravessando o rio em frente ao camp Foto: magari blu

Elefante atravessando o rio em frente ao camp
Foto: magari blu

Ele chegou até às tendas pelo rio Foto: magari blu

Ele chegou até às tendas pelo rio
Foto: magari blu

Ao chegar, já se avista uma imensidão azul em frente ao deck. A área comum é toda aberta, sem muita estrutura além dos suportes de madeira para a lona erguida e do assoalho também de madeira. Rústico chic.

 Duma Tau Camp Foto: magari blu

Duma Tau Camp
Foto: magari blu

Duma Tau Camp Foto: magari blu

Duma Tau Camp
Foto: magari blu

São 10 tendas que acomodam 2 pessoas em cada, sendo que 2 delas são destinadas a famílias, como se fossem tendas conjugadas, seguindo o mesmo padrão de decoração das demais.

Tenda do Duma Tau Camp Foto: magari blu

Tenda do Duma Tau Camp
Foto: magari blu

Tenda do Duma Tau Camp Foto: magari blu

Tenda do Duma Tau Camp
Foto: magari blu

Tenda do Duma Tau Camp Foto: magari blu

Tenda do Duma Tau Camp
Foto: magari blu

As tendas são feitas de lona e madeira e as janelas só de telinha. Nada de vidro – só o boxe do chuveiro. Não tem boxe externo, mas nem precisa. Dá para curtir o tempo todo a linda vista.

A vista do chuveiro Foto: magari blu

A vista do chuveiro
Foto: magari blu

A varanda vista de dentro da tenda Foto: magari blu

A varanda vista de dentro da tenda
Foto: magari blu

As pias e os metais do banheiro são de cobre, o que faz um belo contraste com os demais elementos da tenda em tons cáqui. Muito charmoso.

Pias de cobre na tenda Foto: magari blu

Pias de cobre na tenda
Foto: magari blu

Não tem ar condicionado, somente 2 ventiladores, um de teto e outro de pé. Sobre a cama estão os kikois, espécie de pashmina local. O camp sugere que, para se refrescar, a gente se deite sobre o kikoi molhado na água gelada – é o simpático “ar condicionado” africano.

Kikoi, o "ar condicionado" africano Foto: magari blu

Kikoi, o “ar condicionado” africano
Foto: magari blu

O Duma Tau tem ainda restaurante, lojinha, um deck flutuante para fogueira à noite e uma bela piscina, um pouco afastada, que fica adiante dos quartos. Não tem wi fi ou televisão e também não pega o celular. 100% offine.

Deck flutuante Foto: magari blu

Deck flutuante
Foto: magari blu

A piscina do Duma Camp Foto: magari blu

A piscina do Duma Tau Camp
Foto: magari blu

Safáris de carro e passeios de barco com motor são organizados pelo camp, o que faz um mix interessante de atividades. A minha sugestão é sair pela manhã de 4×4 e fazer o cruzeiro à tarde.

Esquilo  Foto: magari blu

Esquilo
Foto: magari blu

Durante o safári por terra, vi de pertinho os cachorros selvagens pela primeira vez! Eles andam em bando e, apesar de serem predadores perigosos, brincam entre si amigavelmente como nossos cachorros domesticados.

Cachorros selvagens Foto: magari blu

Cachorros selvagens
Foto: magari blu

Atenção para as orelhas arredondadas Foto: magari blu

Atenção para as orelhas arredondadas
Foto: magari blu

Na volta do safári da manhã, seja por água ou por terra, o brunch em estilo buffet espera pelos hóspedes.

Brunch no Duma Tau Camp Foto: magari blu

Brunch no Duma Tau Camp
Foto: magari blu

Ovos e embutidos para acompanhar Foto: magari blu

Ovos e embutidos para acompanhar
Foto: magari blu

É bem especial sair por volta das 16h30, navegar calmamente pela água e assistir ao pôr do sol, com vinho e petiscos. De longe, hipopótamos e crocodilos podem ser contemplados.

Cruzeiro pelo rio Foto: magari blu

Cruzeiro pelo rio
Foto: magari blu

Os hipopótamos Foto: magari blu

Os hipopótamos
Foto: magari blu

Um dos entardeceres mais belos que já vi Foto: magari blu

Um dos entardeceres mais belos que já vi
Foto: magari blu

O pôr do sol no Duma Tau Camp foi um dos mais lindos que já presenciei na minha vida. Aquela bola rosa que vai se tornando laranja e vermelha até desaparecer no horizonte e deixar um rastro de luz no céu. Inesquecível.

Pôr do sol visto do deck flutuante do Duma Tau Camp Foto: magari blu

Pôr do sol visto do deck flutuante do Duma Tau Camp
Foto: magari blu

O charme das tochas Foto: magari blu

O charme das tochas
Foto: magari blu

Em uma das noites, a staff nos levou para uma surpresa. E que surpresa! Pegamos o carro e seguimos até uma área no meio do nada, completamente aberta, onde o Duma Tau organizou um jantar sob as estrelas.

O bar montado no "dinner in the bush" Foto: magari blu

O bar montado no “dinner in the bush”
Foto: magari blu

Uma fogueira ao centro, com lanternas fazendo um círculo em volta, uma mesona comunitária e um bar cheio de garrafas e drinks.

Foi inacreditável ver toda aquela estrutura improvisada só para a gente, num delicioso jantar onde parte da equipe senta-se à mesa e nos delicia com as suas histórias. Eu aproveitei para matar minha curiosidade sobre os costumes locais. Aprendi tanto sobre a cultura tswana…! Mas, desconfiada, estava sempre de olho para ver se não apareceria algum animal.

"Dinner in the bush!" Jantar no mato no Duma Tau Camp Foto: magari blu

“Dinner in the bush!”
Jantar no mato no Duma Tau Camp
Foto: magari blu

Entretanto, a única visita inesperada foi a de uma cobra verde não venenosa que surgiu toda curiosa no restaurante no café da manhã do dia seguinte!

Cobra não venenosa: Visitinha inesperada Foto: magari blu

Cobra não venenosa:
Visitinha inesperada
Foto: magari blu

No Duma Tau, cada momento foi acompanhado pelos guias, seja por terra ou por água, que têm sempre na ponta da língua explicações minuciosas sobre as belezas e os mistérios da região do Linyanti e do Delta do Okavango. Os funcionários da Wilderness Safaris sempre encantam e o trabalho que fazem é impecável.

Nossos queridos guias, Emax & Evans Foto: magari blu

Nossos queridos guias, Emax & Evans
Foto: magari blu

Um camp muito especial, principalmente pela localização junto à água e o visual proporcionado pelo Linyanti, e, claro, pela hospitalidade e cordialidade de todos que trabalham nos camps da Wilderness Safaris.

Como chegar?

A South African Airways faz o voo de São Paulo a Johannesburgo, na África do Sul, e de lá até Maun, em Botswana. Do aeroporto de Maun sai o avião pequeno da própria Wilderness até o camp. É possível, ainda, voar de camp para camp, como no meu caso. Parti do Chitabe Camp até o Duma Tau, também com a Wilderness Air.

Um alô do Duma Tau Camp!  Foto: magari blu

Um alô do Duma Tau Camp!
Foto: magari blu

Acompanhe toda a viagem a Botswana aqui.

Testado e super aprovado pelo Magari blu!

Onde encontrar:
www.wilderness-safaris.com/camps/dumatau-camp

*Assista a TV MAGARI BLU em Botswana:

Ana Maria Junqueira está sempre viajando pelo mundo. É editora do Magari blu, consultora em viagens e a embaixadora de viagens da Perrier no Brasil.