Inverno nevado em Berlim

Dicas de Berlim por Laura Ammann

Uma das percepções mais marcantes que os brasileiros costumam ter depois do primeiro ano completo na Alemanha é referente ao quanto as estações aqui regem a vida das pessoas. Pode parecer óbvio, mas é sempre algo inédito para quem está acostumado com climas tropicais. Estar em uma cidade em que claramente quatro estações distintas se alternam ao longo do ano, faz com que olhemos para as cenas urbanas de forma diferente.

Parque nevado em Schöneberg Foto: Laura Ammann

Parque nevado em Schöneberg
Foto: Laura Ammann

Além da simples troca de cores e humores que as estações trazem consigo, percebe-se uma coerência em como a cidade vive essas quatro fases. As grandes férias letivas, por exemplo, acontecem no verão, quando os parques permanecem 20 horas por dia lotados; todos lutam pela sua vitamina D. Naturalmente, as bibliotecas costumam estar mais cheias no outono e no inverno – aqui parece ser unânime que pensa-se melhor (ou se tem mais disposição para isso) no frio.

Parque nevado em Schöneberg Foto: Laura Ammann

Parque nevado em Schöneberg
Foto: Laura Ammann

Parque nevado em Schöneberg Foto: Laura Ammann

Parque nevado em Schöneberg
Foto: Laura Ammann

O verão é a estação dos Biergarten, das mesas na calçada, de jogar peteca ou taco e de fazer churrasco de Wurst (salsicha) no parque. A primavera traz os primeiros barulhos de passarinhos, os primeiros ataques alérgicos por causa do pólen das flores, mas também uma boa dose de bom-humor. O outono seduz os maníacos fotográficos com suas cores, mas também vai embora muito rápido: algumas poucas semanas de folhas amarelas, laranjas, vermelhas e tudo vai ao chão. O inverno, representando o oposto diametral do verão, é a estação dos Weihnachtsmärkten (feiras de natal), dos Weihnachtsgärten (jardins de natal) e do Glühwein (muito semelhante ao vinho quente brasileiro). A falta de luz do sol é substituída pelas luzes natalinas e pelo branco da neve, que paradoxalmente torna as noites claras.

Vista de um escritório em Berlim Foto: Laura Ammann

Vista de um escritório em Berlim
Foto: Laura Ammann

A primeira neve do inverno é aguardada com a mesma expectativa dos primeiros raios de verão: os jornais informam qual cidade do país foi a primeira a receber uma demão de branco, enquanto em outros estados todos ficam ansiosamente à espera. Ao primeiro sinal de uma neve mais generosa – que resulta naquela camada fofa que faz barulho quando pisada – pais e crianças rumam ao parque com seus trenós em mãos. Os lagos, apesar de manter uma superficial crosta de gelo durante semanas, congelam por inteiro da noite pro dia – pessoalmente, permanece o mistério de como o alemão sabe que dia é esse, mas ele sabe: no dia seguinte estão todos lá patinando.

Neve à frente de um dos prédios da Universidade Humboldt Foto: Laura Ammann

Neve à frente de um dos prédios da Universidade Humboldt
Foto: Laura Ammann

Mesmo com os inconvenientes que a neve traz, como ter que raspar o vidro do carro e levar eventuais tombos na rua, a vida não para: as pessoas continuam fazendo jogging, compras, turismo e indo a bares mais do que nunca – afinal, um pouquinho de álcool é ótimo para se aquecer. A neve, em Berlim, não costuma chegar antes de janeiro, mas pode demorar bastante para ir embora. O bacana do inverno nevado é entrar no espírito e aproveitar a cidade. Até porque Berlim, mesmo no frio, é agitada. Os museus anunciam suas exposições do ano, a Berlinale, que acontece em fevereiro, está chegando e as férias de fim de ano são tão curtas que não dá tempo de criar aquela preguiça de retomar a vida normal.

Famílias escorregando com seus trenós na neve em um parque de bairro em Berlim Foto: Laura Ammann

Famílias escorregando com seus trenós na neve em um parque de bairro em Berlim
Foto: Laura Ammann

Algumas dicas para quem estiver em Berlim em tempos nevados incluiriam passear no Tiergarten e ir também a parques mais bairristas para observar as famílias se divertindo (ou ainda se aventurar com o próprio trenó ou patins). Berlim tem também três planetários (o Zeiss Großplanetarium, o Archenhold Sternwarte e o Wilhelm-Foester) e, de acordo com os astrônomos, o céus tem ótima visibilidade nessa época do ano. Vale a pena se informar e marcar uma visita.

Ponte nevada em Berlim Foto: Laura Ammann

Ponte nevada em Berlim
Foto: Laura Ammann

No geral, todas as atividades indoor são bem vindas, como aproveitar um concerto na Philarmonia, ir ao museu ou à livraria (são muitas opções em Berlim), e, para terminar o dia, não deixar de tomar um bom vinho em um lugar quentinho, olhando a neve cair lá fora.

Fale conosco para organizar a sua viagem:

[email protected]

Formada em Produção Editorial e especialista em Museologia e Curadoria, Laura Ammann é co-fundadora do projeto Arte Conceituando, que publica entrevistas sobre arte, e é mestranda em História da Arte pela Universidade Humboldt. Laura é de São Paulo, mora em Berlim e traz as suas dicas no Magari Blu.