Forza Farofa!

Os italianos são tão fanáticos por futebol quanto os brasileiros. Ou até mais.

Os times de destaque na região de Roma são Roma e Lazio, rivais de morte, mais ou menos como São Paulo e Corinthians. Dia de clássico é chamado de “derby” e dizem que, assim como no Brasil, pode ser um pouco perigoso ir ao estádio até mesmo para uma frequentadora do Morumbi, em São Paulo, como eu. Sim, eu sou sãopaulina, adoro vencer e ter muitos títulos no currículo!

Brincadeiras à parte, antes que eu perca meus leitores torcedores de outros times, a idéia é contar um pouco sobre a experiência no Stadio Olimpico, e o que veio antes e depois.

O programa começou com um “esquenta” em um bar pequenininho, bem romano, onde até o aperitivo era amarelo e vermelho, “gialorosso”, como as cores do Roma (ou “da” Roma como dizem aqui, porque time, em italiano, é “squadra”, um substantivo feminino, logo é la Roma, la Lazio, etc.).

Na seqüência fui ao estádio, assistir a uma partida Roma X Napoli, torcendo, obviamente, pela Roma. Infelizmente, perdemos o jogo.

Mas valeu pelo espetáculo. O estádio estava lindo “giallorosso” e, mesmo xingando horrores como xingamos nos jogos brasileiros, achei a torcida mais civilizada. E mais bem arrumada também, devo dizer!

Os lugares são todos marcados, cobertos, e entre as zonas não têm grades e sim vidros. O estádio fica lindo de se ver. Comecei a entender as dificuldades do Morumbi em sediar jogos da Copa em 2014. Realmente, ainda estamos atrasados no Brasil comparados com os estádios europeus…

Quem estava tendo um desempenho digamos assim, deixando a desejar, é criticado a todo o tempo no jogo pelos torcedores na arquibancada mas, diferentemente do Brasil, é aplaudido ao deixar o campo. Pelo menos nesse dia foi assim, e eu achei uma bonita atitude.

Forza Roma!
Foto: magari blu

 

Achei muito simpático ainda que uma amiga italiana, romanista de carteirinha, me chamou de “lupacchiotta”. “Luppacchiota” significa filhotinha, de loba no caso, pela história da loba, que faz parte do símbolo de Roma. Dizem que a cidade foi fundada pelos irmãos Rômulo e Remo, anteriormente abandonados e achados por uma loba, que os amamentou.

Assim, “lupacchiota” é a filhotinha torcedora da Roma. Fofo, não é?

Bom, depois do jogo, para completar o programa, fui jantar em uma churrascaria brasileira que, pasmem, era de primeiríssimo nível!

Apesar de a carne ser argentina e o dono ser italiano, o restaurante é bem brasileiro mesmo. Picanha, feijão preto, molhinho vinagrete… E farofa! Só faltou o pãozinho de queijo! Eu me deliciei mais do que com as massas… Que saudades de casa!

No restaurante, estavam alguns jogadores da Roma, entre eles o goleiro Doni que é brasileiro. Saí de lá satisfeita com o jantarzinho brasileiro, homenageada pelo maitre com uma trilha sonora de pagode durante o jantar e ainda com uma foto com os jogadores.

E viva a farofa!

 

Onde encontrar:

Stadio Olimpico
Website: http://www.asroma-calcio.com/stadio-olimpico-roma/olimpico.html

 

Carioca Churrascheria
Via Luciani, 54, Parioli (Roma Nord)
Tel: + 39 063203511