Entrevista: Philippe Gombert, presidente internacional do Relais & Châteaux

27/03/2015

Magari blu conversou com exclusividade com o presidente internacional do Relais & Châteaux, Philippe Gombert, na última terça-feira em São Paulo.

Falamos sobre o que une as propriedades que carregam um dos selos de maior peso na hotelaria e na gastronomia mundial, o diferencial dos membros Relais & Châteaux e ainda sobre os hotéis brasileiros integrantes da associação.

Philippe Gombert
Foto: Reprodução

Confira:

Magari blu: Como o senhor resumiria a essência Relais & Châteaux?

Philippe Gombert: Relais & Châteaux é a união entre hoteleiros apaixonados e chefs talentosos, que compartilham valores fortes de excelência, cujo objetivo é dividir um modo de vida, até mesmo uma arte de viver, com hóspedes sofisticados, onde quer que estejam – mesmo nos destinos mais remotos.

Mb: Quais são os diferenciais que fazem do Relais & Châteaux uma sólida referência no turismo de luxo?

P.G.: As pessoas nunca viajaram tanto e estão atrás sempre de novas experiências. Querem aproveitar ao máximo com a certeza de que não irão se frustrar. A marca Relais & Châteaux proporciona essa garantia, a de uma experiência única, movida pela excelência do serviço. Estamos presentes em quase 500 propriedades em 62 países e o hóspede que vem a um Relais & Châteaux sabe sempre o que esperar. Além disso, os hotéis são relativamente pequenos e intimistas, numa média de 28 quartos. A maioria tem origem como propriedades de família, com muita importância para a cuisine e sempre atenção aos detalhes. Para mim, aliás, esse é o verdadeiro luxo hoje e é isso que encontramos nos Relais & Châteaux.

Mb: Como são feitas as inspeções nas propriedades?

P.G.: As inspeções são realizadas a cada 3 anos por inspetores anônimos. A maior parte deles vem da Europa e as propriedades não têm conhecimento de que estão sendo avaliadas. Elas devem cumprir uma série de critérios para continuar na nossa associação. Alguns entram, outros saem, é um trabalho contínuo.

Mb: A sua família é proprietária do Château de la Treyne, que faz parte do seleto time Relais & Châteaux desde 1993. Como foi a sua trajetória até tornar-se presidente?

P.G.: Assim como você, fui advogado por muitos anos na França. Chegou um momento da minha vida em que decidi parar de advogar e ajudar na propriedade da família, o Château de la Treyne, no sudoeste do país. Para ser eleito presidente, é necessário ser membro do Relais & Châteaux; esse é o primeiro passo. Tenho me dedicado agora muito a meu cargo, enquanto isso nossa propriedade segue como há tantos anos recebendo hóspedes.

Chateau de la Treyne

Château de la Treyne
Propriedade da família do Sr. Gombert na França
Foto: Reprodução

Mb: O Brasil vem se aprimorando em sua hotelaria e gastronomia, este ano teremos nosso primeiro Guia Michelin, mas ainda temos apenas 3 hotéis Relais & Châteaux (Santa Teresa no Rio de Janeiro, Txai Resort em Itacaré e Saint Andrews em Gramado). Como o senhor vê esse mercado?

P.G.: Nós crescemos muito na América do Sul nos últimos 10 anos. Mas não é que temos um plano de expandir aqui ou lá, é uma conseqüência, não um foco. A nós, não importa se estamos com determinado número de membros em um continente, não temos metas nesse sentido. Queremos é ressaltar a raridade no turismo e as pessoas apaixonadas pelo que fazem nos hotéis.

Mb: E vem novidade por aí?

P.G.: Sim, estamos sempre recebendo novas propriedades em nossa rede e em breve vamos lançar nossa nova plataforma digital, o novo site Relais & Châteaux.

Merci, Monsieur Gombert!

Para mais informações:
www.relaischateaux.com

*Leia aqui mais sobre as propriedades Relais & Châteaux.

Ana Maria Junqueira está sempre viajando pelo mundo. É editora do Magari blu, consultora em viagens e a embaixadora de viagens da Perrier no Brasil.