Entrevista com Alessandra Garattoni

Ela foi uma das primeiras a se arriscar no mundo dos blogs e até hoje é referencial não só pelo conteúdo que compartilha, mas na forma como o faz. Estamos falando de Alessandra Garattoni, que lançou o seu ItGirls lá em 2007.

O sucesso da blogueira foi tanto que o ItGirls virou livro em 2010 e já está na 4ª tiragem. Ale publicou, ainda, em formato e-book mais três livros: “Coisas que só uma mulher entende”, “Guia NY para principiantes” e “Emprego dos sonhos”.

ale garattoni1

Alessandra Garattoni
Foto: Divulgação

Depois de um tempinho longe da Internet, ela faz sua volta triunfal. O site www.alegarattoni.com.br reúne nada menos do que 5 blogs, cada qual sobre um assunto específico: moda, maternidade, coisas de casa, trabalho e, a mais recente novidade, viagens. Hoje ela bate um papo exclusivo com o Magari blu. Confira:

Magari blu: A gente te vê como uma pioneira. Uma das primeiras a embarcar no mundo dos blogs de moda e a primeira blogueira a se consolidar como escritora de livros. É inevitável dizer: a “it girl” aqui é você! O que de melhor o mundo dos blogs te trouxe?

Alessandra Garattoni: Uau! Fico no mínimo honrada com essa observação. Blogar me trouxe muitas, muitas coisas. Mas, em linhas gerais, o mundo dos blogs me trouxe algumas das mais importantes realizações da minha carreira (que aconteceram direta ou indiretamente influenciadas pelo que fiz online) e uma maior capacidade de lidar com o público, de medir e entender a responsabilidade que é escrever para muitas pessoas que não te conhecem na vida real. Mas o mais importante mesmo foi a lente de aumento no meu trabalho, que foi o que me permitiu lançar e vender livros.

 

Mb: Por que parar e por que voltar para a Internet?

A.G.: Quando comecei o It, o tinha 100% como hobby, nunca imaginei que seria lida por mais que 12 pessoas. Depois de três anos e de uma repercussão que eu nunca tinha imaginado, senti necessidade de sair de cena, estava indo para um caminho que não era meu desejo inicial. E sem falar que eu me permito mudar de ideia muitas e muitas vezes, acho mega saudável viver experimentando. Eu realmente planejava viver 99% no offline quando fechei o blog, mas nunca consegui, sou muito nerd. Fui voltando aos poucos (uma página no Facebook aqui, um tumblr ali…) e, quando vi, tava completamente online de novo.

 

Mb: Como você vê esse mercado?

A.G.: Eu acho que aquele mega boom dos blogs, que estava acontecendo exatamente na época em que eu encerrei o It em 2010, já passou. Agora vai ficar quem é muito bom e quem faz por paixão, não apenas de olho nas consequências. Existe um mercado super estabelecido e gente muito profissional, que merece mesmo ganhar muito bem! Mas sinto que está voltando a existir a turma que tem nos blogs um canal para expor suas ideias, por pura ideologia.

 

Mb: Você acha que ainda existem it girls?

A.G.: Sempre existirão! O conceito se banalizou, como tudo que vira muito mainstream. Mas a ideia inicial, aquela que eu nunca cansei de bater na tecla (o lance das meninas com carisma acima da média que se destacam e têm um brilho todo especial), isso sempre vai existir.

 

Mb: Como surgiu a ideia de lançar o blog de viagem Les Voyages?

A.G.: Na verdade foi uma necessidade de organização da casa! Uni o ItGirls ao ToGrávida, meu blog sobre maternidade, em um mesmo site. Desmembrei as categorias de mercado de trabalho e de coisas de casa (que antes ficavam dentro do It) em blogs diferentes neste mesmo site – o Emprego dos Sonhos e o Amelias Online. Daí que os posts de viagem ficaram meio perdidos no blog de moda e beleza, achei que também mereciam um espaço só pra eles, pra ficar mais arrumadinho.

ale garattoni2

As dicas de viagem da Ale agora têm um espaço para chamar de seu:
Les Voyages
Foto: Divulgação

Mb: Um dos seus livros lançados é o e-book “Nova York para Principiantes”. Por que a escolha de Nova York?

A.G.: Eu amo, amoamo NY, por mais clichê que possa soar a frase. É sempre um destino que está no meio do meu caminho, seja em uma parada extra em uma viagem pra outro lugar ou até roubando a vez de outra viagem em cima da hora. E isso “piorou” depois que me casei, porque é um dos poucos lugares que tenho em comum com meu marido – eu sou mega urbana, ele é mais de viagens exóticas, mas NY é a cidade que os dois amam! Escrever sobre NY sempre foi um prazer. Como no meu livro ItGirls tem um capítulo “Paris para principiantes”, achei que deveria fazer uma outra publicação exclusivamente para NY, contando um pouco de tudo que as pessoas precisam saber antes de visitar a cidade.

 

Mb: Quais outros destinos são os seus preferidos no mundo?

A.G.: Eu adoro viajar, mas sou do tipo que vai sempre pros mesmos lugares, então essa resposta vai ser um festival de clichês! NY e Paris são as cidades que mais amo, sempre. Mas eu também adoro Roma (que conheci na minha lua de mel, então é muito especial pra mim), aprendi a gostar bastante de Londres (que eu tinha detestado na primeira vez que fui, em 99) e tenho gostado cada vez mais de Miami. E quero muito voltar a Vegas, para onde fui sem nenhuma expectativa no reveillon 11/12 e amei. Agora, acho que vou incluir Orlando no meu circuito habitual – tem mais de 10 anos que não vou pra lá, mas não vejo a hora de levar minha bebê pra conhecer o Mickey, sou fã do universo e da magia da Disney! Aqui no Brasil não há lugar que eu ame mais do que o meu Rio, morro de saudade todos os dias.

 

Mb: Como você planeja e organiza suas viagens?

A.G.: Amo fazer tudo sozinha e acho que, modéstia à parte, eu seria uma ótima agente de viagens! Quando é um lugar para o qual nunca fui, gosto de montar meus pré-roteiros dia a dia, bem organizados. Faço um caderninho para anotar números de reservas, colar mapinhas dos meus roteiros de cada dia, montar listas de compras, anotar restaurantes e lojas que quero conhecer, etc. Desde que os blogs entraram em cena, nunca mais comprei um guia de viagens (antes eu tinha até uma mini-coleção, da qual me desfiz neste ano quando mudei de apartamento). Navego nos meus favoritos, me jogo no Google e descubro tudo que preciso saber. Queria ser mais aventureira, como aquelas pessoas que desembarcam em um lugar sem hotel reservado, mas sou muito metódica pra isso! Gosto de saber, antes, onde estou pisando, literalmente. E posso até ir conhecer o restaurante cool do momento do lugar ou me interessar por aquela dica super insider, mas, no geral, adoro turistar, em todos os sentidos!

 

Mb: Para terminar, a gente quer saber como é a vida de uma carioca em São Paulo! O que você mais ama e mais detesta por aqui?

A.G.: Eu brinco que sou paulixxxta! Tive uma adaptação muito fácil em SP e acho que isso se deve ao fato de que, ao contrário de alguns amigos cariocas que nunca conseguiram se acostumar à cidade, eu nunca tentei fazer de SP uma filial do Rio – parece óbvio, mas eu tenho amigos que vivem “em gueto”, só andam com outros cariocas, só vão em restaurantes com uma atmosfera carioca, etc. Tirando ir andar no parque – um programa paulista com o qual nunca me acostumei! –, eu vivo como uma paulistana! Amo a qualidade de serviços, que é bem superior a do Rio (em linhas gerais, claro, mas é!). Para trabalhar, também é incomparavelmente melhor, em todos os sentidos. E acho incrível ter (quase) tudo que se deseja, com uma enorme variedade de lojas, restaurantes, serviços… O que detesto é a distância da praia – não poder olhar para o mar todos os dias é uma baixa significativa na minha vida –, o trânsito e, principalmente, a violência profissional e pesada.

ale garattoni3

Obrigada, Ale!
Seja bem-vinda à blogosfera do turismo!
Foto: Divulgação

Ela não é o máximo? 😀

Onde encontrar a Ale:
www.alegarattoni.com.br

E para ler diretamente as suas dicas de viagem:
alegarattoni.com.br/lesvoyages

*Clique aqui para conferir o nosso bate-papo no site da Ale!

Ana Maria Junqueira está sempre viajando pelo mundo. É editora do Magari blu, consultora em viagens e a embaixadora de viagens da Perrier no Brasil.