Dois pesos, duas medidas: a falta de metros, Celsius e kilos nos EUA

Dicas de NY por Gisela Gueiros

Depois de quase sete anos morando fora do Brasil, já me adaptei a muitas diferenças: aprendi a conviver com o inverno, troquei o carro pelo metrô, janto cedo, leio livros em inglês, comemoro o Thanksgiving, etc e tal. Mas ainda não entendi por que os americanos não usam o sistema métrico na hora de medir. Ainda me pego frustrada quando preciso recorrer a conversores online para entender melhor uma conversa ou preencher um formulário no médico. Além das polegadas e pés na hora de falar de altura, os americanos usam Fahrenheit para calcular a temperatura e pesam as coisas em libras (pounds).

Lembro que durante minha gravidez ficava deprimida quando a balança mostrava gordos números de três digitos no consultório da obstetra. Também não me esqueço do dia em que fiquei feliz quando meu marido me disse que os termômetros em NYC quase nunca marcavam temperaturas abaixo de zero. Sorri em vão. Na verdade, ele estava se referindo a zero grau Fahrenheit – menos dezessete Celsius!

O fato de a data aqui ser invertida – primeiro o mês e depois o dia – não me deixa tão atrapalhada, apesar de eu já ter dado alguns foras preenchendo fichas de inscrição. Também não ligo para dias da semana e do mês escritos com letra maiúscula, assim como as nacionalidades. Até acho simpático.

Por isso começo aqui no Magari blu uma campanha para que os EUA larguem a mão de ser estranhos e façam como o resto dos mortais. Num mundo globalizado e cada vez mais flexível – maconha legalizada e casamento homossexual reconhecido em alguns estados americanos –, tenho a esperança de que um dia eles se se convertam a metros, Celsius e kilos. Afinal de contas, como o mapa abaixo mostra, eles são um dos pouquíssimos loucos do planeta que preferem “inches”e “feet” na hora de medir. #Ficaadica, my fellow Americans! 

Screen shot 2014-01-10 at 9.05.57 AM

PS: A inspiração para escrever esta coluna veio de um email que recebi com os “40 mapas que ajudam a gente a entender o mundo”. Já viram? Clique aqui.

*Autora do site Taxi Amarelo, Gisela Gueiros mora em Nova York desde 2007. Em sua coluna, ela divide com a gente tudo o que a cidade tem de mais incrível para oferecer.