Dicionário de viagem: Você sabe o que é “oy vey”?

Dicas de NY por Gisela Gueiros

Apesar de sempre ter convivido com amigos judeus no Brasil, foi só depois que vim morar em Nova York que aprendi algumas palavras em iídiche. A língua, que teve origem no Século IX na Europa Central, era usada pela comunidade Ashkenazi. Aqui em NYC, o idioma ganhou o apelido de “yinglish” quando é adaptado por quem fala iídiche em países de língua inglesa.

Aqui em Williamsburg, no Brooklyn, onde moro, há uma grande concentração de judeus ortodoxos e até nas placas de trânsito lemos frases em iídiche! Na Ponte Williamsburg, por exemplo, quando você está saindo do Brooklyn em direção a Manhattan, lê-se: “Oy vey!”, uma espécie de “Ai, que pena!”, expressando tristeza por ver ‘você’ indo embora do distrito.

Quanto mais tempo passo aqui, mais palavras aprendo. E depois de ver as expressões em uso, fica não difícil não querer usá-las. São sempre muito boas para definir as coisas ou situações. Não sou especialista no assunto, então por favor me perdoem se minha tradução livre não for 100% perfeita.

Placa na Ponte Williamsburg Foto: Reprodução

Placa na Ponte Williamsburg
Foto: Reprodução

Minhas três preferidas são:

*Shlepper, que originalmente se referia a pessoas que vendiam tapetes, hoje é usada para descrever a pessoa mal vestida, largada, desencabada.
Exemplo de como usar: “Esta roupa esta boa para o jantar de hoje? Ou é muito schlepper?”

*Tchotchkes são cacarecos, quinquilharias, objetos inúteis e/ou decorativos.
Exemplo de como usar: “A casa dela parece um museu, cheia de tchotckes.”

*Chutzpah foi a última que aprendi. Quer dizer coragem, garra.
Exemplo de como usar: “Tem que ter chutzpah para viajar sozinha com três crianças no avião!”

Agora é com vocês! Comentem abaixo se tiverem outras palavras em iídiche para compartilhar 🙂

Autora do site Taxi Amarelo, Gisela Gueiros mora em Nova York desde 2007. Em sua coluna, ela divide com a gente tudo o que a cidade tem de mais incrível para oferecer.