Dicas e boas maneiras no traslado para hotel/hospedagem

Mala de viagem por Flávia Machado

Etiqueta de Viagem

Depois do desembarque, seu próximo destino agora é chegar ao hotel, hostel, apartamento, casa de amigos, enfim, ao local onde você ficará hospedado.

Se for a sua primeira vez nesta cidade, e você não pesquisou antes como faz para chegar lá, a dica de ouro é: procure o escritório (ou balcão) de informações turísticas que todo aeroporto deve ter.

Mesmo que você não fale o idioma local ou seu inglês não seja tão bom, o simples fato de você mostrar o endereço do seu hotel já ajuda na hora de pedir informações.

O(a) atendente vai te passar as instruções de como ir de transporte público (se tiver perto ou dentro do aeroporto) ou vai te indicar onde ficam os táxis.

Geralmente, e especialmente em países do 1o mundo, os aeroportos internacionais estão conectados a linhas de trem ou metrô que te levam para a cidade.

Importante você se certificar de que entendeu mesmo qual linha pegar, se é trem ou metrô, qual a direção que deve ir, em que estação deve saltar, etc.

Peça para o(a) atendente te dar um mapa da cidade identificando com uma caneta o local do seu hotel e um mapa das linhas de trem ou de metrô para você ter e consultar em caso de dúvidas. Com mapas em mãos você está (quase) salvo, caso se perca.

No trem:

Se for usar trem, assim que entrar no vagão, verifique se tem lugar para você colocar suas bagagens. Normalmente, trens têm os compartimentos superiores (acima das poltronas), mas eles são pequenos e abertos, mais parecidos com os de ônibus que com os de avião. Então, quase não cabe nada lá. Mas dentro dos vagões, normalmente próximo à porta de acesso, tem um espaço exclusivo para bagagens – às vezes é só um buraco grande, às vezes são prateleiras ou nichos para você deixar sua mala ali – e depois senta-se em sua poltrona ou cabine.

Lembrando que falar muito alto pode atrapalhar e incomodar outros passageiros. Muitas vezes, nesse tipo de trem não são somente turistas que frequentam. São passageiros frequentes, executivos, estudantes que fazem esse trajeto todos os dias e, enquanto estão no transporte, aproveitam o tempo para ler, trabalhar, assistir seriados, ouvir música ou rádio. Então, em respeito a eles o silêncio ou falar bem baixinho ajuda bastante. Essa dica serve para todos os meios de transporte públicos e coletivos – trem, metrô, tram, ônibus e barcos coletivos.

Ah, muitas estações de trem ou metrô não têm nem elevadores, nem escadas rolantes. Acredite. É verdade, já aconteceu comigo. Em Paris e Londres, pouquíssimas estações têm escadas rolantes ou elevadores. O que nos obriga a subir e descer escadas com as malas! Está aí mais um ótimo motivo para você viajar leve, com menos peso e menos volume – veja aqui as dicas para viajar leve. 

No metrô ou tram:

No caso do metrô, não existem bagageiros. As malas devem ficar com você, aliás, bem perto de você para não atrapalhar ninguém mais. Se forem malas de rodinhas, você terá que ter as mãos livres para segurar a(s) mala(s) porque, com o anda e para do metrô, delas podem sair andando pelo vagão e até machucar alguém, sem querer. Portanto, pense nisso na hora de fazer sua mala para uma viagem que tenha metrô na ida ou na volta a algum aeroporto. Sem contar que uma outra mão deve estar livre para você se segurar no vagão na hora que embarca e na hora em que vai desembarcar…

Assim que entrar no vagão do metrô e se acomodar num assento, procure saber quantas estações de distância você tem até o seu destino. Você pode olhar no seu mapa do metrô ou no mapa da linha que normalmente tem dentro de cada vagão identificando as estações. Isso é muito importante para você ficar atento aos nomes das estações e já se posicionar para o desembarque com uma certa antecedência e, assim, evitar um tumulto no vagão quando for a hora de você saltar com sua(s) mala(s).

Normalmente dá para se preparar para saltar assim que fecham as portas da estação anterior à sua. Mas caso o vagão esteja muito cheio, faça isso um pouco antes.

No ônibus:

Como existem diversos tipos de ônibus, a recomendação é que você avalie na hora (e de forma rápida) onde pode alocar sua bagagem para que não incomode ou machuque ninguém, tampouco atrapalhe o fluxo das pessoas.

Diferentemente do Brasil, em muitos países não existe o cobrador (ou trocador, como se fala no Rio) dentro do ônibus. Você deve comprar seu bilhete antes de pegar o ônibus, no próprio ponto de ônibus ou no centro de informações turísticas.

Então, se não existe cobrador, não tem muito como pedir para alguém te avisar qual o ponto certo para você saltar. É preciso atenção máxima ou contar com a cordialidade do motorista ou de algum passageiro do ônibus para te avisar onde exatamente descer.

Em resumo, boas maneiras em transporte público (em qualquer lugar do mundo) são:

* Procurar não incomodar os demais passageiros com falatório em tom muito alto, piadas, risadas e gargalhadas estão incluídas aí;

* Procurar não atrapalhar o fluxo de passageiros e outras pessoas com as suas bagagens;

* Saber (com o máximo de detalhes possível) para onde se está indo, qual a estação/ponto em que se deve descer com mapas em mãos, de preferência.

De resto, é só chegar na sua hospedagem, desarrumar as malas, tomar uma ducha e começar a curtir seu destino, suas férias ou até sua viagem de negócios.

Foto: Reprodução

*Veja aqui mais dicas de etiqueta e boas maneiras em viagens.

Fale conosco para organizar a sua viagem:

[email protected] 

Flávia Machado é bisneta de uma profissional da alta costura e, desde criança, se encantava com os croquis, os tecidos, as cores. Formada em Propaganda e Marketing, trabalhou por mais de 15 anos em empresas de cosméticos, criando conceitos e produtos voltados para a beleza. Num processo de mudança interno, descobriu outra paixão. Hoje tem uma empresa de Consultoria de Estilo e segue levando beleza e autoestima a homens e mulheres de um jeito mais próximo e personalizado. Flávia se formou na London College of Fashion​ e na Oficina de Estilo. No Magari Blu, nos ajuda com suas dicas preciosas para viajar leve.