Diário da lua de mel: Ngala Safari Lodge no Kruger Park

Diário da lua de mel por Ana Maria Junqueira

O Ngala Safari Lodge está situado na reserva privada andBeyond Ngala Private Game Reserve no Kruger Park, na África do Sul. Passei minha última noite da lua de mel lá, louca para ter mais uma experiência de safári antes da volta para casa – e avistar, quem sabe, um rinoceronte, o único dos Big Five que eu ainda não tinha tido a oportunidade de ver de perto.

As zebras no safári no Ngala Safari LodgeFoto: magari blu

As zebras no safári no Ngala Safari Lodge
Foto: magari blu

Sobre o Ngala Safari Lodge

Ngala quer dizer leão em Shangaan, a língua local. Nome apropriado, afinal o rei da selva é um dos animais mais lindos que vi na África do Sul.

As leoas descansando no cair da noiteFoto: magari blu

As leoas descansando no cair da noite
Foto: magari blu

Clique da leoa no NgalaFoto: magari blu

Clique da leoa no Ngala
Foto: magari blu

Foi a primeira reserva privada incorporada ao Kruger e tem os direitos exclusivos de travessia por 14.700 hectares.

Algumas aves lindas no NgalaFoto: magari blu

Algumas aves lindas no Ngala
Foto: magari blu

Foto: magari blu

Foto: magari blu

O melhor de ficar numa reserva privada é que os guias e trackers podem dirigir off road, avançando na vida selvagem fora das estradas. No Ngala eles fizeram muito isso conosco, inclusive à noite. O 4×4 encara qualquer subida, descida, pequenas árvores. O que deu um friozinho extra na barriga e algumas boas surpresas pelo caminho!

O 4x4 do Ngala em parada no meio da savana!Foto: magari blu

O 4×4 do Ngala em parada no meio da savana!
Foto: magari blu

São 21 quartos, incluindo uma family suite com piscina privada. O lodge está diante de um charco e uma cerca elétrica de 3 metros de altura impede os elefantes de fazerem uma visita. Ou seja: tudo que passar por baixo disso (sim, todos os demais predadores) podem aparecer pela área do lodge. Friozinho na barriga de novo!

Terraço do Ngala Foto: magari blu

Terraço do Ngala
Foto: magari blu

Ambiente externo agradável entre as árvoresFoto: magari blu

Ambiente externo agradável entre as árvores
Foto: magari blu

Tem ainda um restaurante que serve as refeições no buffet, piscina e lounge superagradável, além de loja de presentes.

Lounge do lodgeFoto: magari blu

Lounge do lodge
Foto: magari blu

O lodge tem algumas varandas bem convidativasFoto: magari blu

O lodge tem algumas varandas bem convidativas
Foto: magari blu

Paz e tranquilidade!Foto: magari blu

Paz e tranquilidade de frente para a água!
Foto: magari blu

Os quartos estão em casinhas vizinhas umas das outras e têm varanda. A nossa era mais reservada, pois ficava de costas para as áreas comuns do lodge, em frente a uma montanha cheia de vegetação.

A casinha com quartosFoto: magari blu

A casinha com quartos
Foto: magari blu

A nossa vista! #medinhoFoto: magari blu

A nossa vista! #medinho
Foto: magari blu

O quarto no Ngala Safari LodgeFoto: magari blu

O quarto no Ngala Safari Lodge
Foto: magari blu

Por dentro do quartoFoto: magari blu

Por dentro do quarto
Foto: magari blu

A varanda do quartoFoto: magari blu

A varanda do quarto
Foto: magari blu

A nossa parceira Teresa Perez Tours nos ofereceu um belíssimo jantar na varanda do quarto – o que eu recomendo para os casais. Foi romântico e, ao mesmo tempo, com um toque aventureiro. Afinal, estamos na selva! Ótima maneira de encerrar a linda viagem de lua de mel.

Jantar romântico armado na varanda! Presente especial da nossa parceira Teresa Perez ToursFoto: magari blu

Jantar romântico armado na varanda!
Presente especial da nossa parceira Teresa Perez Tours
Foto: magari blu

Sobre o safári

O primeiro safári do dia sai às 6h da manhã e o segundo por volta das 17h. O carro tem espaço para 6 hóspedes divididos em 3 filas. O grupo costuma sair sempre junto e diversos 4×4 partem para o game drive ao mesmo tempo.

A partida!Foto: magari blu

A partida!
Foto: magari blu

À frente seguem guia e tracker, o encarregado de ficar de olho em animais escondidos e pegadas dos Big Five – elefante, leão, leopardo, búfalo e rinoceronte. São eles que nos explicam tudo sobre a vida selvagem.

BúfaloFoto: magari blu

Búfalo
Foto: magari blu

Contei para eles que a minha grande vontade era de ver o rino, que eu não havia visto ainda! Os rinos estão cada vez mais difíceis de serem encontrados e a história é lamentável.

Por incrível que pareça, o chifre do rinoceronte é considerado como estimulante sexual e sinal de status em alguns países da Ásia. Com isso a matança não para. Muito triste! Os rinocerontes estão diminuindo muito em número e os poucos que restam se protegem e fogem do homem a qualquer sinal de carro se aproximando.

No safári no Ngala tivemos a sorte de localizar um rinoceronte branco. Mas nem esse escapou de uma história comovente. Ele fora baleado uma semana antes na perna e conseguiu fugir. Seu irmão não teve a mesma sorte e foi morto pelos caçadores.

O rinoceronte branco deitado​Ele havia sido baleado na perna por caçadores uma semana antesFoto: magari blu

O rinoceronte branco deitado​
Ele havia sido baleado na perna por caçadores uma semana antes
Foto: magari blu

Ele parece triste, né?Foto: magari blu

Ele parece triste, né?
Foto: magari blu

A andBeyond, rede da qual o Ngala faz parte, tem um projeto sério para cuidar dos rinocerontes. Participam de diversas ações para proteger diferentes tipos de rinos. Uma delas é o #RhinosWithoutBorders.

O rinoceronteFoto: magari blu

O rinoceronte
Foto: magari blu

Outro momento impactante no safári foi avistar 3 leopardos, bem de pertinho! A mãe e 2 filhos. Nem todo mundo tem a sorte de se deparar com esses felinos que, para mim, são os mais lindos da savana! Portanto, instante de glória!

Leopardo bem pertinhoFoto: magari blu

Leopardo bem pertinho
Foto: magari blu

Tem animal mais lindo?Foto: magari blu

Tem animal mais lindo?
Foto: magari blu

Não demos a “sorte” de assistir a uma caça dos predadores, mas essa tranquila mãe leopardo estava devorando sua presa.

A mãe leopardo estava devorando uma presaFoto: magari blu

A mãe leopardo estava devorando uma presa
Foto: magari blu

Parece que estava gostoso! Foto: magari blu

Parece que estava gostoso!
Foto: magari blu

Mais cliques dos belos animais durante o game drive:

Hiena: ela parece tão simpática, mas é um predador perigoso!Foto: magari blu

Hiena: ela parece tão simpática, mas é um predador perigoso!
Foto: magari blu

Sou apaixonada por esses chifres!Foto: magari blu

Sou apaixonada por esses chifres…
Foto: magari blu

O hipópotamoFoto: magari blu

O perigoso hipópotamo
Foto: magari blu

*Paradas na savana

As paradas para um snack durante os safáris foram bem especiais no Ngala. Durante uma delas, nos deparamos com uma mesa que de longe parecia uma caixa, aparentemete perdida no meio do nada!

No meio da savana tinha uma caixaFoto: magari blu

No meio da savana tinha uma caixa
Foto: magari blu

Para nossa surpresa, dentro havia um lindo bolo e petiscos. Veja que maravilha:

Para nossa surpresa, dentro havia um lindo bolo e petiscosFoto: magari blu

O interior da caixa
Foto: magari blu

O guia e o tracker montaram uma mesa para o nosso lanchinhoFoto: magari blu

O guia e o tracker montaram uma mesa para o nosso lanchinho
Foto: magari blu

Além de um cooler com bebidas, a garrafa de champanhe estava estrategicamente escondida e gelada!Foto: magari blu

Além de um cooler com bebidas,
a garrafa de champanhe estava estrategicamente escondida e gelada!
Foto: magari blu

*O que levar

Os safáris acontecem ao amanhecer e ao anoitecer, quando a temperatura está mais baixa. Por isso, a dica é vestir-se em camadas, com um casaco ou jaqueta por cima da roupa para se proteger do vento. No carro do Ngala tem mantinha e um poncho para chuva. Nós precisamos dele, pois pegamos um toró. O carro é todo aberto mas foi até divertido.

Não se esqueça ainda de roupas confortáveis para subir e descer do carro, tênis, boné, óculos escuros, além, claro, da máquina fotográfica. Proteja-se sempre com repelente, pois a zona não está livre de Malária.

A bagagem não deve superar os 20kg por causa do aviãozinho que leva ao lodge.

*Quanto tempo ficar

A ideia inicial era ficar 2 noites no Ngala. Mas nosso voo de volta ao Brasil foi alterado então tivemos que diminuir para somente uma noite. Achei muito pouco tempo, mesmo já tendo feito safári em outro lodge!

Portanto recomendo no mínimo 2 noites.

*Como chegar

A maneira mais rápida é via voos diretos da Federal Air que pousam na pista do Ngala. A SA Express é uma opção também, até o Aeroporto Eastgate e, de lá, mais uma hora de transfer.

São aviões pequenos e seguros, que levam cerca de 12 pessoas. Caso pegue um desses voos, eventualmente poderá guardar sua mala pesada no locker do aeroporto ou no lounge da Federal Air – deixei minha mala lá em Johannesburgo sem custo extra.

A pista de pouso não tem cercas e às vezes do avião já é possível avistar alguns animais.

A pista de pouso do NgalaFoto: magari blu

A pista de pouso do Ngala
Foto: magari blu

Quem quiser se aventurar por terra, são 6 horas a partir de Johannesburgo.

O Ngala tem a vantagem de estar numa reserva só sua, contar com ótima staff, num clima de exploração selvagem com conforto. Ai, que saudade do Kruger…!

Sobre o Ngala Tented Camp

Além do Safari Lodge onde ficamos, o Ngala Tented Camp é uma opção mais aventura na região. São suites em tendas num acampamento de luxo! Leia mais aqui.

Testado e aprovado pelo Magari blu!

Onde encontrar:
www.andbeyond.com/ngala-safari-lodge

Ana Maria Junqueira está sempre viajando pelo mundo. É editora do Magari blu, consultora em viagens e a embaixadora de viagens da Perrier no Brasil.