Diário da Lua de Mel: dicas ao planejar a viagem para a África do Sul

Diário da lua de mel por Ana Maria Junqueira

Ai ai ai… Tá chegando a hora! Depois de meses de preparativos do casamento e, claro, da lua de mel, estamos prestes a partir para a nossa tão esperada primeira viagem como Sr. e Sra.

Divido agora alguns pontos que não poderiam ter passado despercebidos durante o planejamento da lua de mel na África do Sul e Moçambique.

As respostas a essas dúvidas me ajudaram bastante. Espero que possa ajudar você também!

1) Você vai mesmo para a África? Mas e o Ebola?

Ouvi essa pergunta dezenas de vezes. Claro que nossa saúde é a primeira preocupação, mas decidimos não cancelar a viagem por causa do Ebola. Porque o surto está muito distante, mas muito mesmo da África do Sul e de Moçambique.

Como a nossa colunista Fernanda Fleury já explicou aqui, quem não conhece o continente africano tem o costume de pensá-lo como um todo, como uma coisa só. Só que ele é maior que os EUA, Índia, China, Europa e Japão juntos. É gigantesco!

Os destinos para onde vamos estão a milhares de quilômetros das zonas de surto. Cape Town, por exemplo, está a mais de 5.000 quilômetros das áreas infectadas. Portanto, ao menos por ora, não é necessário alarde para visitar a África do Sul e Moçambique. Se a realidade fosse outra, teríamos repensado nossa escolha.

2) Como é feito o deslocamento entre as cidades na África do Sul?

Voo sul-africano é sinônimo de aeroporto de Johanesburgo. Todos os voos passam por lá e é o local para as conexões. Transitaremos pelo aeroporto na chegada, depois para voar até Moçambique, para a volta de Moçambique a Cape Town, para voar de Cape Town aos safáris e, claro, para o retorno ao Brasil. No mais, o deslocamento é feito de carro.

3) Qual a franquia de bagagem para voos internos na África do Sul?

23 kg na econômica e 32kg na executiva. Os voos para os lodges no Kruger normalmente aceitam malas pequenas de no máximo 20 kg.

Se não tiver jeito de diminuir a bagagem, a melhor dica é levar 2 malas, uma delas menor, para carregar para o safári, por exemplo, e a grande deixar no locker do aeroporto de Johanesburgo. Na volta do destino, provavelmente você terá que passar por Johanesburgo novamente para seguir viagem e aí pode pegar sua mala grande de volta.

4) Precisa alugar carro na África do Sul?

Estar motorizado sempre é uma facilidade, principalmente se a ideia é passar por cidades ou regiões distintas, como as vinícolas ou a Rota Jardim.

Atenção somente para a mão inglesa (invertida), para não se atrapalhar na direção. Se não quiser arriscar, é possível agendar um guia com carro para fazer tours de um dia todo ou de meio-dia.

5) O que vestir no safári?

A roupa no estilo safári não tem esse nome à toa. Cores neutras como cáqui e calças de sarja são perfeitas para o safári. Se você não estiver disposto a entrar no clima assim, dá para fazer safári de calça jeans e tênis. Calças muito justas são desconfortáveis para subir e descer do carro várias vezes.

O safári da manhã sai bem cedo, portanto é bom ir de jaqueta ou casaco e se cobrir com a manta que vai no 4×4. Evite cores fortes e chamativas que atraem a atenção dos animais.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Tudo pronto! #partiu 🙂

Fique ligado no Diário da lua de mel!

Ana Maria Junqueira está sempre viajando pelo mundo. É editora do Magari blu, consultora em viagens e a embaixadora de viagens da Perrier no Brasil.