Capri e Costa Amalfitana no inverno: vale a pena?

Quando comecei a programar uma viagem para a Itália no mês de dezembro, em um roteiro que incluía Nápoles, logo pensei em incluir um dia ou mais na Costa Amalfitana, que não conhecia.

Costa Amalfitana
Foto: Ana Maria Junqueira

Mas ninguém – N-I-N-G-U-É-M mesmo, recomendou. Disseram que as cidades ficavam sem vida, até meio deprê, e que as lojas e os restaurantes fechavam. Alguns hotéis fecham também, e isso eu já sabia. Acabei desistindo da ideia e fiz apenas Nápoles como base. Porém, enquanto estava por lá, dias lindos de sol e sem nuvens convidavam a explorar a região da Campania. E arrisquei!

Capri
Foto: Ana Maria Junqueira

No primeiro dia, fui a Capri, onde já tinha estado 6 anos antes. Para chegar em Capri é bem fácil: os alicasfi (balsas) saem do porto de Nápoles até a ilha, em trajetos de cerca de 50 minutos. Na baixa temporada, foi bem tranquilo comprar o ticket na hora.

O que encontrei aqui realmente foi a esmagadora maioria do comércio fechada, assim como restaurantes. Por isso, pode ser um pouco decepcionante se você não estiver preparado para isso. Eu já conhecia Capri, mas para quem nunca veio, dá uma ideia do que é a ilha. E dá muita vontade de voltar na primavera ou no verão para conhecê-la a todo vapor.

Pôr do sol de inverno em Capri
Foto: Ana Maria Junqueira

Dentre os restaurantes que não fecham no outono e no inverno, indico o Michel’Angelo. É comandado pelo simpático casal Gianluca e a australiana Holly, que se conheceram (onde mais?) no próprio restaurante. O nome homenageia o pai dele, Michele, que o incentivara a abrir um restaurante na ilha onde nasceu e cresceu.

Salada caprese no Michel’Angelo
Foto: Ana Maria Junqueira

Massa e peixe fresco do dia no Michel’Angelo
Foto: Ana Maria Junqueira

No outro dia, segui de carro pela estradinha que leva à Costa Amalfitana. Mais um dia muito ensolarado.

Costa Amalfitana
Foto: Ana Maria Junqueira

Aqui, foi uma surpresa! Cidades como Sorrento e Amalfi têm bastante vida aos finais de semanas e feriados fora de temporada.

Sorrento
Foto: Ana Maria Junqueira

Deu para bater perna, ver lojinhas, almoçar deliciosamente bem e dirigir em uma das mais belas estradas do mundo.

Costa Amalfitana
Foto: Ana Maria Junqueira

Costa Amalfitana
Foto: Ana Maria Junqueira

Sorrento tem aquela característica que tanto vemos nas fotos das Costa Amalfitana, casinhas coloridas incrustadas no penhasco. Pelas ruas, mercados que vendem limão siciliano e lojinhas charmosas de cerâmica.

Sorrento
Foto: Ana Maria Junqueira

Sorrento
Foto: Ana Maria Junqueira

Amalfi, por sua vez, fica no nível da água, e estava mais cheia até que Sorrento. Restaurantes e sorveterias ficam abertos, assim como lojinhas locais, e as ruas estavam cheias de gente no feriado prolongado de Nossa Senhora Conceição em 8 de dezembro.

Amalfi
Foto: Ana Maria Junqueira

Amalfi
Foto: Ana Maria Junqueira

Um restaurante gostoso e típico amalfitano, que não fecha nos meses de baixa temporada, é a Taverna del Duca. No menu, massas frescas, claro, e bons vinhos.

Taverna Del Duca
Foto: Ana Maria Junqueira

Nunca tinha visitado a Costa Amalfitana e, mesmo sem navegar de barco no sol escaldante, como se faz nos meses mais quentes, foi uma delícia de passeio. Portanto, se é o único período em que você tem esta oportunidade, pode ir sem medo! Só não se esqueça de levar casaco. 😉

Frio com sol na Costa Amalfitana em dezembro
Foto: Ana Maria Junqueira

Fale conosco para organizar a sua viagem:

[email protected] 

Ana Maria Junqueira é a idealizadora do blog Magari Blu e fundadora da premiada agência de viagens Magari Blu Viagens. Escreve sobre viagens, faz a curadoria de todo o conteúdo que você vê por aqui e organiza roteiros personalizados e reservas.