Novidades por e-mail
Menu Categorias
0

Vinícolas sul-africanas e Rota Jardim

Destinos

19 dez 2012 Publicado por

Por Teresa Perez Tours

As famosas vinícolas sul-africanas e a Rota Jardim, na costa sul-africana, são o tema do nosso giro pela África do Sul de hoje!

Confira:

– REGIÃO DE VINÍCOLAS

Napoleão era admirador dos vinhos sul-africanos. Carregamentos de Vin de Constance, seu sabor favorito, ajudavam a aliviar-lhe a dor do exílio na ilha de Santa Helena.

Hoje, passados dois séculos, a África do Sul continua sendo reconhecida pela qualidade de suas cepas. Os vinhedos florescem aos pés das grandes montanhas da região do Cabo, influenciados pelo clima ameno do extremo sul do continente e pelas brisas úmidas do Atlântico e do Índico.

Dezenas de produtores se concentram nas cidades históricas de Stellenbosch, Franschhoek e Paarl. Hospitaleiros, os produtores abrem as portas de suas propriedades para mostrar os cultivos e apresentar os vinhos.

A uva mais nobre é a do tipo pinotage, matéria-prima do legítimo tinto sul-africano. De Constantia, um bairro bucólico de Cape Town, até hoje sai o vinho que Napoleão tanto apreciava!

 

*O que fazer?

PASSEIOS

– Stellenbosch

Fundada em 1679, a segunda colônia europeia mais antiga na África do Sul, após Cape Town, com ruas ladeadas por casas em estilo holandês, esta histórica cidade universitária de clima europeu é autêntica e charmosa.

Às margens do Rio Eerste, a cidade cresceu de maneira espantosa e tornou-se independente logo em 1682, apenas três anos após a sua fundação. Devido ao seu solo e climas propícios à produção vinícola, rapidamente virou o centro desta indústria no país, e produz atualmente cerca de dez milhões de hectolitros (cem litros) de vinho ao ano.

Charmosos boutiques, bares e restaurantes se misturam entre prédios universitários e monumentos históricos. Sua arquitetura ilustra bem o estilo de ambientes e a decoração do início do século XVIII.

Stellenbosch
Foto: Teresa Perez Tours

 

– Franschhoek

Franschhoek tem esse nome (“canto dos franceses”, em africâner) porque foi fundada por protestantes fugidos da perseguição religiosa na França, no século XVII.

A pequena cidade, ao pé de montanhas, mantém o ar bucólico do passado. Seus restaurantes, muitos dedicados à fina culinária francesa, são premiados. Seus vinhos, admirados dentro e fora do país.

Franschhoek
Foto: Teresa Perez Tours

 

– Paarl

Paarl está entre as cidades que mais produzem vinho na África do Sul. Os vinhedos são cultivados até mesmo em áreas residenciais, o que dá à localidade uma atmosfera campestre.

As vinícolas estão abertas para os visitantes, e as degustações se fazem em casarões construídos séculos atrás, belos exemplares da arquitetura colonial da Península do Cabo.

Paarl
Foto: Teresa Perez Tours

 

*Onde comer?

RESTAURANTES

– Delaire Grafe

Em ambiente projetado pelo célebre designer de interiores londrino David Collins, os clientes saboreiam pratos de sabores marcantes, assinados pelo talentoso chef Christiaan Campbell.

As mesas no terraço, com vista para o vale, são especialmente agradáveis.

Restaurante Delaire Graff
Foto: Teresa Perez Tours

Onde encontrar:

Helshoogte Pass Road
Aproximadamente 7km ao leste de Stellenbosch
Tel: 27 21 8858160
www.delaire.co.za
Abre para almoço diariamente 12h-14h30 e jantar qua/sáb 18h30-21h30

 

– Le Quartier Français

Este hotel oferece três opções de restaurantes que misturam sofisticação com toques locais.

Os restaurantes são reconhecidos por seus elaborados pratos e excelentes cartas de vinhos.

Restaurante Le Quartier Français
Foto: Teresa Perez Tours

Onde encontrar:

16, Hugenot Road, Franschhoek
Tel: 27 21 8762151
www.lequartier.co.za
O bistrô ICI abre para café da manhã 7h30-10h, para almoço 12h-16h e para jantar 18h-22h

– The Restaurant at Boschendal

Com uma decoração harmoniosa, este restaurante situado no Boschendal Wines serve pratos regionais com um toque francês.

Acompanhado por um vinho produzido na própria fazenda e pela paisagem do entorno, é um ambiente agradável e aconchegante.

Restaurante Boschendal
Foto: Teresa Perez Tours

Onde encontrar:

Fazenda Boschendal
Estrada R310, aproximadamente 15km a nordeste de Stellenbosch e 15km a sudoeste de Franschhoek (metade do caminho entre as duas cidades)
Tel: 27 21 8704272
www.boschendal.com

– ROTA JARDIM

A Rota Jardim é a região costeira compreendida entre Cape Town e Port Elizabeth, nos confins do continente africano. De uma ponta à outra, são quase 800km que devem ser percorridos sem pressa.

O próprio nome já sugere: a estrada da Rota Jardim corta paisagens verdadeiramente inspiradoras! De um lado, abre-se o Índico. Do outro, erguem-se montanhas e florestas. Pelo caminho, surgem cidades charmosas…

Cada parada reserva uma surpresa. Podem ser as baleias que nadam nas enseadas. Podem ser os bravos surfistas que enfrentam as ondas. Podem ser os cenários perfeitos para o arborismo, o bungee jumping e outras aventuras. Podem ser os elefantes de uma reserva natural que se deixam acariciar. Ou podem ser os bistrôs que oferecem vista para o mar!

O sol brilha constantemente e as temperaturas são sempre amenas. De uma ponta à outra, a Rota Jardim deve ser percorrida com o olhar atento a cada detalhe!

 

*O que fazer?

PASSEIOS

– Hermanus

A pequena Hermanus está numa das extremidades da Baía Walker, entre as montanhas e o mar. Nessa localização privilegiada, nasceu como um vilarejo de pescadores.

Hermanus
Foto: Teresa Perez Tours

Um dos presentes que Hermanus oferece aos visitantes são os caminhos à beira-mar, que cortam praias, jardins e rochedos. Durante o passeio, não é raro ser surpreendido por um curioso sinal sonoro. É o aviso que um jovem da cidade (conhecido como whale crier) dá, com uma espécie de berrante, cada vez que avista uma baleia.

Rapidamente, as pessoas ao redor se viram para o mar para admirar, boquiabertas, o espetáculo que esses grandes animais apresentam quando sobem à superfície e mergulham – as baleias são o outro presente de Hermanus aos visitantes.

Hermanus
Foto: Teresa Perez Tours

A alguns quilômetros dali, na outra ponta da Baía Walker, fica a vila de Gansbaai, célebre pelos mergulhos em gaiola para a observação do temido tubarão branco!

 

– Knysna

A pequena Knysna é uma das cidades favoritas dos sul-africanos.

É cercada de florestas e, em uma delas, criou-se um parque de elefantes. Os visitantes podem fazer passeios montados nesses animais, acariciá-los e alimentá-los.

Knysna
Foto: Teresa Perez Tours

Além disso, existem dois programas obrigatórios ali. O primeiro é caminhar sem pressa pela charmosa avenida principal, repleta de casas vitorianas, cafés e lojas. O outro programa é escolher um dos restaurantes do píer para o jantar e, enquanto a noite cai lentamente, contemplar a serena laguna que banha a cidade, na transição do rio para o mar.

A especialidade de Knysna são as ostras, produto genuinamente local. Todo mês de julho, a cidade realiza o Knysna Oyster Festival, que, além de experiência gastronômica, inclui maratonas, corridas de bicicleta, peças de teatro e degustações de vinhos.

 

– Plettenberg Bay

No final do século XV, os navegadores portugueses deram à atual Plettenberg Bay o nome de Baía Formosa. Adjetivo apropriado!

A pequena cidade – mais chamada de Plett pelos moradores – espalha-se sobre suaves colinas à beira-mar e, por isso, sempre oferece uma vista deslumbrante para o Índico.

Um dos passatempos prediletos dos visitantes é aproveitar o sol deitados na areia. De lá, podem observar majestosas baleias, atraídas pelas águas mornas de Plettenberg Bay, e alegres golfinhos, que se divertem acompanhando os caiaques.

Plettenberg Bay
Foto: Teresa Perez Tours

As florestas que existem ao redor completam o belo cenário. Entre elas, estão o Parque Nacional de Tsitsikamma, lugar perfeito para atividades de aventura, e o santuário Monkeyland, refúgio de 15 diferentes espécies de primatas – incluindo os lêmures, aqueles curiosos animais de olhos arregalados que mais parecem uma mistura de macaco com raposa.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.