Novidades por e-mail
Menu Categorias
41

Um AMOR chamado ROMA

Diário de bordo

28 ago 2011 Publicado por

Sempre me perguntam como vim parar na Itália. Por que escolhi Roma. Por que deixei o Brasil. Por que não Londres, Nova York, Paris? Por que não fiquei em São Paulo e pronto?

Um ano e pouco atrás eu estive em Roma com a minha mãe. Sentada em uma mesinha na rua – não digo calçada porque ela mal existe por aqui – eu disse:

–  Eu vou morar aqui.

Ela riu.

– É sério. Eu quero morar aqui. Eu VOU morar aqui.

Voltei para o Brasil com a idéia fixa na cabeça. O que faria em Roma sem falar italiano? Sem conhecer ninguém? Não sou mais criança para vir a Itália com a desculpa de aprender italiano. Tinha emprego e quase 30 anos nas costas. Não dava para abandonar tudo naquele momento sem um propósito.

Bom, o primeiro problema tinha que ser resolvido, ou, ao menos, começar a ser solucionado. Quinze dias depois que pousei no Brasil, iniciei as aulas de italiano. Meu professor genovês easy going me ajudou a ter o primeiro contato com a língua de verdade e não ter medo de errar. “O que importa é se expressar”, ele dizia.

Sentei com meu chefe no escritório de advocacia e dividi meus sonhos, meus planos. Mostrei na internet que havia um mestrado em Roma que poderia ser interessante. E não é que ele também achou interessante?

Por incrível que pareça, em 6 meses eu estava morando em Roma. Meus amigos, meus pais, meus irmãos…eu sentia que ninguém acreditava que eu viria realmente. Cinco dias antes de embarcar meu pai me perguntou durante o almoço:

– Mas então você vai mesmo?

Chorei pela saudade que já sabia que sentiria. E disse:

– Eu vou. E não duvidem nunca mais de mim quando eu disser que farei algo.

E devo dizer: eles não duvidam mais mesmo.

A vida me ajudou, meu empenho também, e eu me lembrei como é ter um desafio, um sonho, uma paixão, e não medir esforços para alcançá-los. Fui aceita no mestrado, aluguei um apartamento, e a partir daí era oficial: eu vivo aqui.

Em Roma eu me sinto em casa. Sempre me senti. E foi por isso que fiz minha mãe rir naquele restaurantezinho quando expressei pela primeira vez esta vontade, dizendo que aqui poderia muito bem ser a minha casa. E eu nunca senti isso em nenhuma outra cidade no mundo que não fosse a minha própria.

Caminhando olhando pelo chão de quadradinhos sanpietrini, prestando atenção para não tropeçar em toda a sua irregularidade, de repente percebo que é ela que faz o seu charme. Levanto a cabeça e vejo que é assim tudo à minha volta. Os prédios todos pintados de cores diversas – mas descascados. A fonte que jorra água para beber – mas que inunda a rua. As mesinhas do lado de fora com toalhas xadrez tão charmosas – mas todas sempre tortas e bambas por conta do piso irregular. As janelas cheias de florzinhas – e o varal de roupas estendido para fora. E, claro, o impressionante legado do Império Romano – em ruínas.

Foto: magari blu

A irregularidade de Roma é o que a faz mais especial que as outras cidades do mundo. Porque é tudo lindo, encantador, colorido, e surpreendente em cada detalhe. Não funciona como outras cidades por aí, mas se funcionasse não seria tão charmosa assim. É a bagunça mais fascinante que eu já vi. Enche os olhos. Eu não me canso de apreciar Roma.

A cidade é cheia de vida o tempo todo, inclusive com as suas luzes amareladas à noite iluminando junto com a lua o vai e vem de gente pelas ruas. Estranha-se quando tem silêncio em Roma. E o silêncio, por incrível que pareça, não alivia. Dá saudade.

Os sons se misturam entre os motores das vespinhas, as vozes altas dos italianos, as torcidas de futebol e os músicos com suas sanfonas e guitarras. Aos sábados tomo café da manhã na minha sala escutando “Fly me to the moon” tocada por um velhinho lá embaixo, na porta da minha casa.

E a língua italiana também é realmente música para os ouvidos e é fantástico perceber como se enche a boca para pronunciar cada palavra tanto quanto para cada garfada de um spaghetti sensacional. Não é à toa que as canções italianas são tão lindas e românticas e que nos dá tanto prazer aprender este idioma.

Eu tenho muita sorte de viver em Roma e sempre entro em uma das centenas de igrejas aqui para agradecer esta oportunidade. É a minha cidade do coração, que até blog virou, porque são tantas as experiências e descobertas todos os dias que não faz sentido guardar só para mim.

“O importante é se expressar”, já dizia meu professor no Brasil, não é? E eu só fui entender a fundo esta frase depois que me mudei. Para viver na Itália se deve se expressar com gestos, com sons, com caras, bocas, gostos e música. E é assim que vivo e mergulho todos os dias nos milhares de anos de História e fascínio que fazem dessa cidade… Realmente eterna.

A homenagem do cantor Jovanotti: “Ora Roma”

Comentários

  1. Amore mio!
    Vc nao faz idéia quanta felicidade vc traz para as pessoas com esses contos romanos seus (this one is my favourite so far!).
    Eu pelo menos fico cheia de inspiracao em ver alguém como vc seguindo um sonho, disfrutando ao máximo e retribuindo ao mundo com as suas experiências e gratidão – that's the way to live life baby!
    By being who you are, you give hope to the people around you who may not dare to chase dreams…it's a very rare act of courage! Por favor continue sempre assim and keep sharing your stories filled with love – it is such a genuine pleasure to watch dreams unfold in reality! Com muito amor e admiracao, a sua suequinha xxx

  2. ana adorei tb! i am happy you followed your dream! a bia, minha irmã tambem teve essa sensação na primeira vez q esteve em paris, e hj mora lá! i am still looking for that love!

  3. Carol, espero que você encontre logo um lugar pra chamar de seu! Mesmo que não seja pela vida toda, todo mundo merece estar num lugar que te encanta, que te inspira! Um beijo

  4. Que lindo Ana!!
    Eu venho lendo seu blog, e esse post foi realmente um dos que mais me tocou. Vivi algo parecido quando decidi morar em NY. Voce escreveu e descreveu tudo muito bem, quando queremos algo, fazemos acontecer! Gosto do que escreve pois é realista, ve o lado positivo e o negativo, ou seja, não é mais um daqueles blogs onde tudo é visto com óculos cor de rosa.
    Continue aproveitando a vida, em Roma, Paris, NY, São Paulo… ela é uma só e passa muito rápido!
    Beijos

  5. Camila, adorei seu comentário! E muito obrigada pela audiência!!! Realmente tudo tem seus dois lados da moeda e cabe a nós tirar o melhor de tudo como pudermos!!! Beijos

  6. Aninha, minha amiga querida,
    Como é bom descobrir nosso lugar, nossa casa, nesse mundo enorme que nos cerca… como é bom sair com a cara e a coragem e descobrir que aquele passo foi fundamental pra descobrir quem vc é… isso nao tem preço!!!
    Amei suas palavras, e sei que esse restinho de ano vai passar voando, mas vai trazer uma “bagagem” imensa, e uma saudade e um carinho pro resto da vida!!!
    Volta logooooo!!! Saudade sua 🙂
    Beijos
    Bia

  7. Aninha, ADOREI esse seu post! Sei bem como é esse sentimento de ir a uma cidade e chamá-la de sua! Sinto exatamente isso por NY e esse seu post meu deu mais vontade de perseguir esse meu sonho! Adorei também a sua visão da cidade, deu mais vontade ainda de conhecê-la, hehehe! Saudade vizinha! Continue divertindo-se muito por aí e aproveitando a sua Roma! Beijão!

  8. Quer dizer que vc é uma aguarradinha de Roma! Esse lugar é fantástico! Eu adoraria morar ai tb! Acompanho seus dilemas do prédio sem elevador, das ruas, dos restaurante, dos sinos, e manifestações politicas…. isso tudo faz o charme do lugar!! Saudades de vc , Aguarradinha! É muito bom ver as pessoas que amamos realizando seus sonhos, construindo sua história, crescendo um pouquinho a cada dia! Fico chocada quando lembro da minha reação ao ver o Foro Romano e a Capela Sistina… É um lugar emocionante!!! E eu me orgulho de vc por ter escolhido esse lugar para ser o cenário de uma época da sua vida! Aproveita muito Ane Marieee! Todos os dias como vc fez desde que chegou ai… são peculiaridades diárias e únicas que nos fazem nascermos todos os dias novamente! Quem sabe Paris seja perfeita demais, ou Londres/ Ny modernas demais… que sabe Roma seja… assim, simplesmente demais!

    • Belo esse escrito sobre mudanças,…….

      Tambem amo Roma, meu computador è italiano, por isso faltam os acentos….

      Faz duas semanas voltei de Roma, estive la por dois meses e pretendo voltar ja em setembro.
      Sou aposentado e quero fazer um voluntariado la, se souberem de algum lugar onde eu possa exercer algum trabalho, como voluntario, em Roma, agradeço qualquer informaçao.

      Jose Francisco Noceti B.

  9. Amigas queridas, obrigada pelos comentários!
    Cada palavrinha me tocou também. AMEI!
    Muitos beijos e saudades

  10. Aninha!!! Saudades querida sobrinha. É lógico q vc se daria bem em Roma, afinal tem sanguinho italiano…rs é uma Strefezza…qdo tiver oportunidade vai visitar a “terrinha” Motesano sulla Marsellana…encontrar os italianos de perninha curta…iguais a sua Dadá!!! Bjs minha linda!!! Vc escreve mto mto bem. Bjs

  11. e aki entre nós…não é q duvidavam…não queriam a “nenê” longe…rs somos todos iguais na familia…kkk

  12. Que Lindo!!!! Você e seu talento para escrever…. sou sua fã, Nina!!!!

    Me lembrei do texto que li quando morava aí… dentro da caverna:

    MUDANÇA (de Clarice Lispector)

    “Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.
    Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.
    Tome outros ônibus.
    Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os seus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias. Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.
    Veja o mundo de outras perspectivas.
    Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda. Durma no outro lado da cama… Depois, procure dormir em outras camas. Assista a outros programas de tv, compre outros jornais… leia outros livros.
    Viva outros romances.
    Não faça do hábito um estilo de vida. Ame a novidade. Durma mais tarde. Durma mais cedo.
    Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
    Corrija a postura.
    Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.
    Tente o novo todo dia. O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor.
    A nova vida. Tente. Busque novos amigos. Tente novos amores. Faça novas relações.
    Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.
    Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
    Escolha outro mercado… outra marca de sabonete, outro creme dental… Tome banho em novos horários.
    Use canetas de outras cores. Vá passear em outros lugares.
    Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
    Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias.
    Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
    Abra conta em outro banco. Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.
    Mude.
    Lembre-se de que a Vida é uma só. E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.
    Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo.
    E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino. Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez.
    Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.
    O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda !
    Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não
    vale a pena!”

    Amo você!
    Saudades!

  13. Ana! Muito bom o post!
    Me deu uma saudade enorme de Roma…
    E esse video do Jova é excelente!
    beijos e boa Roma!

  14. Obrigada pelos comentários!!! Adorei que vocês gostaram.
    Vit, amei o texto da Clarice…ela é demais!
    Saudades!!!
    beijos

  15. Minha amiga amada que admiro tanto!
    Ler esse texto me fez vivenciar cada detalhe dos dias que estive com vc ai em Roma! Agora eu sei sentar em um restaurante e diferenciar o que peço no cardápio! : )
    Não tem nada mais admirável do que ver você andando em Roma como se estivesse em casa. E vc realmente está.. essa cidade é a sua cara! Mais admirável ainda é ver vc cantar o italiano cumprimentando todos os conhecidos da rua ou então cortando o barato dos chatos de aeroporto que acham que vc não entende né? “Leio minha passagem inteira sim e pronto!”
    Mais que Roma, todo nosso verão Europeu é inesquecível!
    Sou sua maior admiradora!
    Amo vc top top!!

  16. Ke, adorei suas palavras…e amei que você veio ver de perto a minha vida romana! Obrigada pelo apoio de sempre!! Beijos e saudades

  17. Chi,
    Adorei! Fiqui arrepiada e emocionada, parece que eu tmb tava sentindo tudo isso! ahahhah
    Imagino o que deve estar sendo maravilhoso pra voce essa experiencia unica! Acho que todo mundo deveria passar por isso…né?
    Fico muito feliz por voce estar assim!
    Mas vc não vai se mudar para Roma né?!
    Pelo amorrrrrr…
    Muitas saudas!!!!! Love u! Bjs!

  18. Corinha, que saudades…amei que gostou!!!! Obrigada!!! Infelizmente uma hora eu volto! hahaha…por isso aproveito cada minutinho aqui. Um beijo

  19. A todos que deixaram suas palavras…so' tenho que agradecer porque foram muito lindas! GRAZIE!!!!
    Beijos

  20. Encontrei seu blog agora, e me apaixonei, simplesmente…
    Morei em Roma, no ano de 2009, e sinto tudo isso que vc sente também. Roma realmente não tem explicação, ela simplesmente é maravilhosa. Chorei lendo esse seu post.
    Quanta saudade de Roma, quanta vontade de voltar a viver nella mia bella Roma!!!
    Parabéns pelo seu blog.
    Bjos!!!

    • Ana Claudia, amei seu comentário! Acho que só quem vive um sonho como vivemos que consegue entender o que é morar num lugar que nos emocione de verdade!
      Espero você sempre por aqui!
      baci

  21. Que delícia ler esse texto! Me encontrei, sabia?
    Ninguém dá muita bola pra quando eu falo que quero morar fora, acham que ainda é um sonho de adolescente, só porque eu tenho 19 anos, mas não tô nem aí…
    Divido meu coração entre Roma e Paris (oh humildade, hahahaha), mas Roma… é demais!
    É tudo tão simples e belo ao mesmo tempo, além de ser um museu a céu aberto! Não vejo a hora de voltar…
    Felicidades Ana!

    • Oi Caroline!
      Ninguém dava bola pra mim também, mas se tiver oportunidade de ir atrás de um sonho não a deixe escapar!
      Roma é especial mesmo, assim como Paris.
      Obrigada pela sua visita. Te espero sempre por aqui!
      beijos

  22. Ana, parabéns pelo blog! Os posts são lindos, este em especial.
    Você é uma escritora nata!!

    Adoreei! Continue buscando os seus sonhos!

    beijos

  23. Oi Ana!
    Achei seu blog agora enquanto fazia a minha pesquisa. Também estou indo morar em Roma. Chego no dia 15 de março…
    Foi um pouco assim como você… fiz uma viagem pela Europa com a minha mãe nesse mesmo período do ano e misteriosamente, apesar de termos passado por muitos países, não fomos a Itália. A Itália sempre foi o lugar dos meus sonhos e a anos, muitos anos mesmo, cultivo esse sonho no meu coração como uma certeza de felicidade sem explicação. Uma coisa íntima e muito forte. Então resolvi ter um bom motivo para minha aventura pessoal e me inscrevi num curso master com duração de um ano. O meu ano de descobrir, conhecer, inventar, encontrar e me apaixonar por esse lugar tão lindo cheio de cores, sabores e sonoridade. Tenho absoluta certeza que será lindo e provavelmente a maior oportunidade da minha vida de me conhecer profundamente. Afinal, estarei sozinha, plena de pensamentos, beleza e da presença de Deus.
    Obviamente que neste exato momento ando ouvindo o barulhinho das rodinhas do carrinho da montanha russa que esta prestes a descer a toda velocidade. É um mix de ansiedade, desejo e um certo medinho… porque é estranho deixar sua família, seus amigos, seu país e tudo que é tão confortável e aconchegante quanto um abraço longo. Porém por outro lado, sinto como se tivesse ganhado dois pares de asas enormes, novinhos e loucos para decolar.
    Muito obrigada pelo blog, pelo texto tão cheio de amor! Ler foi como um presente, como uma pista do caminho certo. É exatamente essa atmosfera colorida de luzes amarelas e com irregularidade charmosa que eu desejo encontrar!
    Adorei!!
    beijo,
    Babí

  24. Oi, estou meio perdida e por isso conto com sua ajuda. Essa semana descobri a possibilidade do meu marido ser transferido para trabalhar em Roma, sou fisioterapeuta com 32 anos , filho de 2 anos e filho e marido com cidadania italiana. Como é o mercado de trabalho aí na minha área? Quais são os melhores bairros pra se morar? ai, ai…. são muitas dúvidas, me ajude, per favore!!! Baccio!!

  25. OLA!! PARABENS!!! ADOREI TUAS DESCOBERTAS E QUERO ASSINAR SUA NEWSLETTER . BJS!!!

  26. Nossa! Arrasou muito. Também me apaixonei por Roma e por todas as partes da Itália que conheci em 2009. Mas tinha acabado de conhecer meu grande amor, casei e continuei no Brasil. Ahhh mas como eu moraria em Roma, ou Cinqueterre, ou Lucca…

  27. ANA LENDO SEU DEPOIMENTO, PENSEI: QUE PENA QUE EU NÃO TENHO MAIS 20,30 ANOS. VALEU…PARABENS. AHH NO PROXIMO ANO VOU PARA A ITALIA ATRAVES DE VC. SE CONSEGUIR UM GRUPO MARAVILHA,SENÃO VOU SOZINHA MESMO…BJS E SUCESSO SEMPRE.

    • Anna, nunca é tarde! Conte comigo para ajudar na sua viagem ano que vem.
      Bjs

  28. Querida Ana,

    achei seu blog pesquisando no google como é morar em Roma.
    Quando li o seu post, quase não acreditei. Estive em Roma em 2011, com minha mãe e minha irmã, e, exatamente como vc, falei pras duas “Um dia eu vou morar aqui”.
    Estou nas fases finais da faculdade de Direito, e logo que me formar pretendo ir correndo para aí. Você mencionou um mestrado, poderia me dizer qual exatamente? E com o que vc trabalha aí agora?

    Eu ficaria tão grata se você pudesse me enviar um e-mail falando sobre isso, ou respondesse esse comentário. Parabéns pela conquista desse sonho! E desde já muito obrigada.

    Com carinho, Anna Paula.
    annap.bonelli@gmail.com

    • Oi Anna Paula, tudo bem?
      Realmente as nossas histórias são parecidas 🙂
      Hoje eu não moro mais em Roma. Voltei para o Brasil há 2 anos.
      Minha vida mudou bastante desde então. Advoguei mais 1 ano de volta ao Brasil, enquanto tocava o site, até que decidi me dedicar exclusivamente ao jornalismo de viagem. Dá uma lida no http://www.magariblu.com/o-site/ para você saber mais detalhes!
      O mestrado que fiz em Roma foi em Diritto Privato Europeo na Università degli Studi di Roma La Sapienza. Foi um curso de 1 ano, a grande maioria das aulas em italiano, salvo quando recebíamos algum professor estrangeiro que falava inglês.
      É um curso interessante, e, ao mesmo tempo, com uma carga horária bem ok, o que me possibilitou aproveitar bastante Roma e viajar.
      Beijos
      Ana Maria

  29. Oi Magari Blu,

    Adorei seu post!!
    Vou para La Sapienza em agosto para intercâmbio, estou bem animada!
    Ainda estou com dúvidas sobre em que bairro morar, você tem alguma dica?

    Beijos e obrigada,
    Carolina

  30. Roma belíssima, gia vi sono stata molto anni fã. E puoi jiovanotti pio dire bene né.la calzone “gente della notte” vediamo che Bella Roma di Notte atravesso la musica. Enjoy this magnífic place. O paese”. Congratulazioni

  31. Bravo! Como quero ter essa coragem, além da falta de coragem falta dinheiro, sou professora do ensino fundamental em Pernambuco, nem precisa explicar muito.Mas se tiver uma chance se quer mim avisa. Grata!

  32. Amei como você descreveu Roma, minha querida cidade eterna, lá é minha segunda casa. Morei 4 meses em Roma durante meu doutorado e sempre sinto saudade. Aí outro dia reclamava da saudade que sentia e um amigo me disse: “ROMA ao contrário é AMOR”… não poderia encontrar definição melhor!

    • Ana Rita, Roma é muito AMOR! Volte sempre!

  33. Estou arrepiada! Amei! Além da história linda e tão verdadeira, me identifico muito pq vc sabe que sou da mesma área de formação e tb “não queria viver o resto dos meus dias fazendo algo que eu simplesmente suportava”. E como é interessante sentirmos ser tão mais difícil assumir para o mundo que não queremos mais a carreira de formação, ainda mais a nossa, sempre acompanhada dos adjetivos linda, tradicional, na qual já temos experiência e podíamos estar em posições destacadas etc., ainda que tenhamos parado na profissão por pressão bem-intencionada de pais. Eu também sofri essa pressão e é muito importante você dizer isso e eu também reconheço hj que foi muito bem intencionada. Enfim, muito feliz pelo seu caminho cada vez mais belo na nova profissão, por ter te conhecido na pós em Jornalismo e ter acompanhado e continuar acompanhando a guinada do Magariblu. E também estou feliz por estar em outra área há três meses e tão realizada como há muito não me sentia! E que dê muito certo pra nós a segunda profissão. Saudades! Bjs!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.